7 carreiras que estão em alta para você conhecer

Há 20 anos, ser pontual, não faltar e cumprir com eficiência o que lhe foi determinado eram as virtudes mais almejadas pelas empresas. Hoje, entretanto, com a extrema concorrência, elas passaram a buscar profissionais que liderem estratégias digitais, inovação, compliance e reorganização tributária, apenas para citar alguns exemplos.

Só que, antes de mudar o perfil dos executivos, essa nova visão redesenhou radicalmente cargos existentes e criou postos de competências múltiplas (quase sempre, ligados à tecnologia).

As próximas linhas vão mostrar quais são essas carreiras que estão em alta e como uma especialização pode levar profissionais de formação generalista (Administração, Ciências Contábeis, TI e Marketing) a se gabaritarem para esses postos promissores! Confira!

1. Coordenador de mídias digitais

A compra regular na internet já é feita por cerca de 70% dos brasileiros; além disso, 63% dos domicílios nacionais têm acesso à web. Isso sem falar no poder de influência das redes sociais no comportamento de consumo. É por todos esses fatores que a coordenação de mídias sociais se tornou uma das carreiras que mais se destaca hoje em dia.

Esse profissional é responsável por estabelecer estratégias de atração, engajamento e relacionamento com os clientes, itens fundamentais em uma era em que quase tudo ocorre pela internet.

2. Diretor de transformação digital

Não se espante se você entrar em uma reunião corporativa e encontrar um CDO ao seu lado. Trata-se do Chief Digital Officer (diretor de transformação digital), um executivo de nível C cuja principal missão é integrar todo o universo de tecnologias que surgiram nos últimos anos — e, principalmente, conseguir aplicá-las de forma vantajosa à empresa.

Entre Internet das Coisas, Big Data, realidade virtual, drones e computação cognitiva, cabe a esse profissional encontrar soluções para o negócio a partir de recursos de alto impacto tecnológico. Essa talvez seja a carreira mais promissora dos próximos anos e quem se qualificar adequadamente na área certamente terá muitas oportunidades de crescimento.

3. Especialista em gestão pública

O Brasil está começando a viver uma nova era na administração pública, em que as pressões por mudanças no aparelho do Estado são cada vez mais intensas. São pressões para que os serviços públicos se tornem mais eficientes, inovadores e próximos dos cidadãos, aumentando exponencialmente o retorno sobre o investimento que a população faz (por meio do recolhimento de altos impostos).

Nessa perspectiva, desenvolvimento de processos menos burocráticos, políticas sociais eficazes e estratégias de alocação de recursos públicos mais inteligentes são mais do que desejáveis: são ideias fixas atuais dos três poderes no país.

Dentro dessa nova visão, o antigo funcionário público indolente, sem iniciativa e acomodado tende a ser engolido por uma nova leva de servidores altamente qualificados (muitos com mais de uma especialização, mestrados e até doutorados), que entram atualmente na máquina pública por força de concursos públicos mais exigentes.

Isso porque existe uma demanda reprimida por gestores modernos, capazes de reorganizar a estrutura organizacional engessada e os processos redundantes, demorados e ineficientes do aparelho estatal.

Os cargos diretivos na administração pública são abundantes e muitos deles permanecem vagos por longos períodos pela falta de profissionais de nível executivo para ocupá-los. Cada vez menos amarrados a acordos fisiológicos, esses postos (que chegam a remunerar em R$ 9 mil adicionais) não deixam dúvidas de que a área pública gerencial figura no topo entre as carreiras que estão em alta e permanecerão em voga nos próximos anos.

O ideal é preparar-se para esses desafios cursando especialização em Gestão Pública em uma instituição com expertise em formação executiva, a qual pode, compreendendo as peculiaridades do setor público, desenvolver gestores modernos e focados em uma cultura de resultados.

4. Controller

Compliance, accountability e governança corporativa são verdadeiros mantras que se ouvem o tempo todo nos corredores das salas de direção das mais importantes empresas do País na atualidade.

Com o oceano de casos de corrupção entre empresas e governo (e a consequente devastação na imagem de antigas gigantes de diversos setores da economia), elas passaram a se preocupar mais seriamente com o juízo de valor que a sociedade faz delas quando o assunto é ética, transparência e respeito às leis.

Seja por isso ou pelas regulações com pouca margem de manobra (como a Lei Anticorrupção, que pune mais severamente empresas e seus respectivos controladores em caso de práticas ilícitas ligadas ao setor público), algumas atividades, que antes ficavam em segundo plano, hoje ganharam importância estratégica nas corporações. É o caso da carreira de controller.

Uma das carreiras que estão em alta, a de controller surgiu como decorrência da necessidade de alinhar a área financeira ao business das companhias. O profissional dessa área comanda a contabilidade e a controladoria das empresas, conciliando seu perfil técnico financeiro/contábil às estratégias de negócio das corporações.

Com salários que ultrapassam os R$ 35 mil/mês, essa carreira é indicada aos que possuem formação em Economia ou Ciências Contábeis, os quais podem adquirir as competências desejadas para o cargo por meio, por exemplo, de uma especialização em Gestão com ênfase em Finanças.

5. CFO (Diretor Financeiro)

Seguindo a linha das Exatas, o CFO (“Chief Financial Officer” ou, em português, Diretor de Finanças) é o braço direito do CEO, sendo o responsável direto por desenvolver estratégias empresariais que facilitem a expansão, a captação de novos investidores e a inovação.

Com remuneração que pode chegar aos R$ 25 mil/mês, esse profissional deve ter amplos conhecimentos de finanças, análise de risco, contabilidade e gestão. Assim como no item anterior, um MBA ou uma especialização em Gestão com foco em Finanças é o curso indicado para qualificar os jovens executivos que almejam alcançar tal posição na carreira.

6. Analista de desenvolvimento humano organizacional

Há algumas décadas, a mão de obra nas empresas era vista como mera peça de uma engrenagem, perfeitamente substituível e que não justificaria qualquer atenção especial para que houvesse alguma repercussão relevante no faturamento empresarial.

Atualmente, entretanto, o chamado Capital Humano é considerado o ativo mais importante que uma corporação pode ter. Afinal, na era dos negócios digitais, não basta ter dados: é preciso ter especialistas capazes de transformar esses dados brutos em informações gerenciais, produzindo vantagem competitiva frente à concorrência.

Por mais que a tecnologia avance em direção à computação cognitiva, a inovação, por exemplo, é virtude da mente humana por excelência. Mas como fomentar a motivação e a capacidade criativa de seu Capital Intelectual?

É esse um dos desafios do analista de desenvolvimento humano organizacional. No Top 10 das carreiras que estão em alta atualmente, quem ocupa esse posto é incumbido de estruturar avaliações de desempenho por competências (verdadeiramente eficazes), realizar mapeamento de talentos, cruzar posições-chave ao crescimento da companhia, entre outras atribuições.

7. Gestor especialista em projetos

O ambiente de negócios é repleto de incertezas que exigem planejamento dos projetos, cálculo de risco, análise/redesenho constante do escopo, prazo e custos, tudo com objetivo de evitar empreitadas malsucedidas, entregas atrasadas, extrapolação de orçamentos e outros problemas que arranham a imagem da empresa e colocam a energia financeira em xeque.

A importância de reduzir a imprevisibilidade dos projetos e mitigar as chances de erros/retrabalhos vem dando uma cara nova ao gestor de projetos, que precisa ser um exímio líder de equipes, um expert em gestão da inovação e alguém com intensa capacidade de solução de problemas.

A recompensa? Com salário médio próximo a R$ 8 mil, o gestor de projetos é um dos profissionais com maior possibilidade de colocação no mercado, além de poder utilizar seu conhecimento como trampolim para outros cargos de direção.

Alguma dessas carreiras que estão em alta tem a ver com seu perfil? Então é preciso correr e qualificar-se! Dê o primeiro passo assinando nossa newsletter para receber em seu e-mail — gratuitamente — dicas e conteúdos exclusivos sobre mercado de trabalho, carreira, educação executiva e muito mais!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"