7 dicas para ir bem na avaliação de performance na empresa

Em toda empresa que tenha uma gestão de pessoas consistente, chega uma época em que todos se veem envolvidos com a avaliação de performance. Assim, semestral ou anualmente, gestores e funcionários se colocam frente a frente para chegar a um parecer sobre o desempenho de cada um.

De forma geral, essa análise traz o impacto óbvio sobre a produtividade da equipe, que aumenta na medida em que também evolui um processo de aperfeiçoamento contínuo dos funcionários. Além disso, em algumas organizações, o resultado da avaliação repercute na política de incentivos e bonificações.

Neste post, você vai saber mais sobre a avaliação de performance e ainda receber 7 dicas para se sair bem nela. Não deixe de ler!

Qual é a importância da avaliação de desempenho?

Saber a finalidade de um processo é um dos primeiros passos para nos prepararmos melhor para ele. Por isso, explicaremos em linhas gerais por que a avaliação de performance é importante para a empresa e para o colaborador.

Esse procedimento analisa cada funcionário de uma corporação, considerando a atividade executada, os resultados atingidos em vista das metas estabelecidas e a qualidade com que isso é feito. Tudo isso permite que a empresa desenvolva sua equipe tecnicamente e verifique o comportamento de cada funcionário (postura e adesão à cultura organizacional), por exemplo.

Os resultados da avaliação ajudam na tomada de decisão quanto a promoções e reestruturações da equipe, assim como a política de incentivos e bonificações e reajustes salariais.

Os tipos de avaliação

Toda avaliação tem o caráter de analisar a postura do funcionário, seu conhecimento, relacionamento interpessoal e, ainda, sua capacidade de colaborar com os resultados do negócio.

Para medir tudo isso objetivamente, são estipulados os critérios de avaliação, que devem ser os mesmos para colaboradores que exerçam a mesma função, variando de acordo com o nível de senioridade de cada um. No entanto, pode ocorrer de diversas formas, conforme veremos.

Autoavaliação

O colaborador avalia o próprio desempenho, segundo os critérios estabelecidos pelos gestores. Os resultados encontrados são discutidos com a chefia imediata que, ao discordar de alguns aspectos, por exemplo, pode conduzir o funcionário para outra visão de sua performance.

Costuma ser bem-sucedida em equipes mais maduras, mas também provoca o desenvolvimento dos colaboradores mais inexperientes, pois promove o autoconhecimento. Essa avaliação pode ser aplicada de forma conjunta com outras.

Avaliação 90, 180 ou 360 graus

Estabelecidos os indicadores de desempenho, a chefia imediata procede com a avaliação 90 graus de seus subordinados, de forma unilateral.

A proximidade entre os dois proporciona um melhor conhecimento sobre o avaliado, mas pode gerar distorções de análise: um colaborador que mantém um relacionamento conturbado no setor pode ter suas qualidades ofuscadas, por exemplo.

A avaliação 180 graus também é chamada de conjunta, pois o colaborador e seu superior imediato podem discutir os pontos em análise.

Na avaliação 360 graus, contudo, todos os colaboradores que se relacionam no ambiente de trabalho se avaliam mutuamente. Essa análise proporciona maior credibilidade nos resultados, em especial com relação ao comportamento e à postura do funcionário.

Avaliação por competências

O líder da equipe avalia cada um de seus liderados considerando competências comportamentais — proatividade, trabalho em equipe, orientação para resultados, entre outras — e técnicas — conhecimento da área de atuação, do uso de equipamentos e softwares etc. —, de acordo com a função exercida por cada um deles dentro da companhia.

Como posso me sair bem na avaliação de performance?

Independentemente do tipo de verificação, é possível se preparar para ser bem-avaliado. Claro que, como será analisada a postura durante todo um período, sua postura durante esse tempo tem muito mais a dizer sobre você do que o momento da reunião de avaliação.

No entanto, a ansiedade ou a falta de preparo podem prejudicar até o mais brilhante dos funcionários nesse momento — e é por isso que nossas dicas são tão úteis. Veja:

1. Prepare-se para o momento

Analise, de forma bastante crítica, a sua atuação e os resultados que entrega aos seus gestores. Esse é o momento de olhar para o próprio trabalho com certo distanciamento, para enxergar os pontos positivos a fim de se lembrar deles no momento oportuno, mas também os negativos da sua atuação, preparando-se para falar sobre eles e, se necessário, apresentar uma defesa.

2. Seja transparente

Dialogue, exponha seu ponto de vista e sua opinião sobre a forma como é avaliado, sem subterfúgios. Esse é o momento de conversar de forma muito clara.

É provável que você receba com extrema franqueza uma avaliação da sua atuação como funcionário, então sua resposta pode, e deve, ser bem direta. Não se esqueça, no entanto, que transparência e objetividade nada têm a ver com rispidez.

3. Conheça seus objetivos

Sua avaliação ocorre segundo as metas estipuladas para você e seu setor. Então, procure rever quais são as metas individuais e coletivas para aquele período e qual foi o seu papel no cumprimento delas.

4. Tome nota

Além de suas anotações sobre sua performance, caneta e bloco de notas são ferramentas essenciais nessa reunião, que tem um conteúdo riquíssimo e essencial para seu desenvolvimento profissional. Assim, não saia dela de mãos vazias.

Tome nota daquilo que é apontado como pontos fortes e fracos do seu desempenho, para que possa trabalhar neles. Além disso, essa postura demonstra interesse no que está sendo discutido, bem como seriedade e maturidade para entender críticas construtivas.

5. Mostre suas qualidades

Você pode sentir, em algum momento, que não foi bem-avaliado em alguns aspectos, mas sabe que teve um desempenho maior do que o enxergado pelo seu gestor. Então, não se cale: mostre a ele suas qualidades, fale com propriedade e sem falsa modéstia.

6. Discuta seus defeitos

A avaliação também tem o objetivo de desenvolver a equipe. Por isso, quando tiver seus problemas expostos, anote-os e, se julgar pertinente, converse sobre eles. Mostre vontade de melhorar e peça orientação sobre os possíveis caminhos para isso.

7. Dê feedbacks

Você também pode dar feedback sobre a atuação dos gestores e sobre a empresa, mas é importante perceber o momento oportuno para tanto. Caso não haja tempo ou abertura para fazê-lo durante esse encontro, informe ao gestor a sua vontade de conversar posteriormente sobre isso.

Esperamos que com esse conhecimento e com nossas dicas você consiga se sair muito bem na sua próxima avaliação de performance.

Caso ainda restem dúvidas ou queira compartilhar sua experiência sobre o assunto, deixe um comentário. Vamos conversar!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"