As competências profissionais mais valorizadas e como desenvolvê-las

 

Quem está atento certamente também está preocupado. Afinal, com a crise econômica tornando o mercado de trabalho cada vez mais competitivo, sair na frente na procura por melhores colocações é um enorme desafio. Especialmente em momentos de instabilidade, é preciso saber o que recrutadores e empresas estão procurando para conseguir se destacar entre os candidatos.

Neste post, vamos mostrar quais são as competências profissionais mais valorizadas e como você pode desenvolvê-las. Também vamos falar sobre a importância de procurar uma qualificação que o coloque sempre em vantagem na hora de competir no mercado de trabalho. Preparado para se tornar um profissional ainda mais completo e conseguir uma boa colocação profissional ou uma bela promoção? Então continue lendo!

As principais competências diferenciais para o mercado

Independentemente do porte ou da área de atuação, a regra é basicamente a mesma: cada empresa precisa encontrar os profissionais adequados para seu meio. Por isso, é normal que cada negócio procure um perfil específico de colaborador, profissionais que se encaixam naquela cultura organizacional e têm determinadas habilidades técnicas.

De toda forma, existem algumas habilidades que são imprescindíveis para todo profissional que deseja alcançar cargos de liderança e gestão em qualquer negócio. Pensando exatamente nisso, resolvemos listar aqui algumas dessas características essenciais valorizadas no mercado atual para que você consiga identificar se já as possui ou se ainda precisa aprimorá-las. Acompanhe!

Liderança

O tópico chefe versus líder já é quase lugar-comum quando o assunto é mundo corporativo. Resumidamente, enquanto o chefe se baseia apenas em sua posição hierárquica para exercer influência sobre a equipe, o líder usa seu conhecimento técnico, sua experiência e sua capacidade de diálogo para envolver e motivar os colaboradores.

Os melhores chefes são, portanto, líderes. Por outro lado, nem todo líder é chefe. Ao contrário do que muita gente pensa, é sim possível se tornar referência para colegas, exercendo influência sobre a equipe, mesmo sem ocupar um alto cargo. E é exatamente esse tipo de perfil que as empresas procuram: profissionais capazes de atuar em organizações dinâmicas, com hierarquia horizontalizada e maior liberdade.

Isso não significa, no entanto, que os negócios não buscam algumas características clássicas de perfil de gestor, como a capacidade de cobrar a conquista de metas, coordenar a ação de liderados e colegas de trabalho e de desenvolver uma visão global da empresa, além de ser capaz de mediar e solucionar conflitos.

Resiliência

Outra palavra que vem se tornando popular no mundo corporativo é resiliência. O termo vem da Física, área em que sua aplicação se refere a materiais que conseguem voltar a seu formato original mesmo após sofrerem deformações ou avarias. No mercado de trabalho, no entanto, ser resiliente é ser capaz de superar problemas e desafios sem perder o foco de grandes objetivos. O profissional resiliente se destaca, portanto, por conseguir trabalhar em ambientes competitivos ou instáveis.

A resiliência é uma habilidade de ouro. Mas atenção: nada de confundi-la com teimosia, ok? Afinal, não se trata de insistir em soluções problemáticas, mas sim ser capaz de identificar equívocos, aprender com eles e traçar estratégias para dirimi-los agora, evitando-os no futuro.

A resiliência também tem a ver com capacidade de um profissional se adaptar a novos cenários de maneira rápida. E isso não acontece apenas quando surge um problema. No caso de mudanças de cargo ou de área de atuação dentro da própria empresa, por exemplo, que são situações relativamente comuns no mercado atual, o profissional deve ser capaz de se adaptar de forma rápida, sem acrescentar empecilhos ou relutar. Essa característica também é vista com bons olhos por recrutadores.

Planejamento

Profissionais que têm boa visão de curto prazo e conseguem responder a situações inesperadas de maneira satisfatória são sempre bem-vindos. Porém são ainda mais disputados aqueles que também são capazes de olhar para um futuro mais longínquo, preparando-se da maneira certa para o que está por vir.

Ser capaz de realizar um planejamento equilibrado, prevendo etapas e buscando soluções preventivamente é essencial para entrar em uma grande corporação ou ascender profissionalmente. Colaboradores que possuem um plano de desenvolvimento profissional, com metas e objetivos de carreira, também são vistos com bons olhos por recrutadores. Isso acontece porque esse plano ajuda a manter o foco e a motivação, o que coloca tais profissionais em destaque.

Intraempreendedorismo

Engana-se quem pensa que é preciso ser dono do próprio negócio para ser empreendedor. Ter uma visão holística da empresa e se preocupar com seu futuro, buscando soluções de grande alcance interno, são algumas características bastante valorizadas no campo do empreendedorismo que também estão no radar de recrutadores e gestores. Aliás, existe até um termo para ações desse tipo: o intraempreendedorismo.

Trata-se da habilidade de ter visão de proprietário, focando suas ações profissionais em metas globais da empresa. A visão empreendedora, no entanto, diz também sobre habilidades técnicas dos profissionais. Assim como o dono de um negócio deve ser capaz de entender diferentes aspectos organizacionais (processos burocráticos, gestão de pessoas e de projetos, controle orçamentário e muito mais), o colaborador empreendedor também deve ser multitarefa, capaz de atuar em diferentes frentes do negócio.

Comunicação

Quem sabe expressar suas opiniões, apresentar sua visão e desenvolver argumentos de forma clara certamente é um profissional com mais chances de sucesso. Pode acreditar: o colaborador comunicativo é procurado por empresas tanto durante processos de seleção como ao surgir a possibilidade de ascensão dentro da organização.

É importante lembrar que parte crucial da boa comunicação está em saber escutar sugestões e críticas de colegas e subordinados, considerando essas informações e oferecendo respostas satisfatórias. Essa é a chave para construir um ambiente de trabalho mais integrado e com menores possibilidades de conflitos.

Também não se esqueça de sempre evitar a troca de informações truncadas e prejudiciais. Sim, estamos falando da famosa fofoca! Toda empresa quer passar longe desse antigo problema. Por isso, quem é capaz de estabelecer canais de comunicação transparentes e objetivos com os colegas e com o próprio negócio tende a ser mais valorizado.

Ética

As empresas estão cada dia mais preocupadas com sua reputação e integridade. Na prática, isso significa que desvios éticos não são tolerados. Assim, profissionais que se destacam por sua lisura e capacidade de zelar pelas normas internas e responsabilidade social estão em alta no mercado.

Esse tipo de característica ganha ainda mais importância em um mundo em que organizações procuram solidificar seus compromissos de responsabilidade social. O respeito às comunidades onde as empresas atuam e o cuidado com meio ambiente, por exemplo, são indispensáveis para negócios modernos. Como consequência, seus funcionários devem seguir o mesmo caminho.

Inovação

As empresas precisam se reinventar a todo momento para se manter competitivas no mercado. Devem, por isso, contar com profissionais que sejam criativos, capazes de buscar inovação de forma constante. Mas atenção: a inovação não é valorizada apenas pela inovação em si, mas por trazer resultados concretos — como uma redução de custos ou o aumento da cartela de clientes. A criatividade deve, portanto, ser direcionada para as metas do negócio, coerentes com sua realidade.

Para isso, é preciso montar uma equipe com profissionais que conhecem as tendências do mercado, que acompanham as inovações de tecnologias corporativas, que são capazes de analisar processos antigos e propor mudanças profundas. Isso tudo sem perder de vista a capacidade da própria empresa em aceitar e financiar grandes mudanças internas.

Qualificação

Em busca de excelência, as organizações de hoje valorizam profissionais com capacidades técnicas do mesmo nível. Nesse sentido, aqueles que correm atrás de alcançar excelência de atuação, garantindo atualização e ampliação de conhecimento, são mais valorizados. Traduzindo: quem procurar aprender sai na frente.

A qualificação pode ser buscada por qualquer um nas mais diferentes frentes. É possível participar de treinamentos obrigatórios e eletivos, fazer workshops, ir a encontros e conferências e, ainda, procurar um curso de especialização profissional. Entenda: quem procura qualificação mostra aos recrutadores e gestores que se esforça para alcançar metas mais altas e, assim, conseguir crescer com o negócio.

Visão

A capacidade de ler contextos, identificar oportunidades, prever ameaças e acompanhar as tendências do mercado é uma competência profissional cada dia mais exigida. Isso acontece tanto pelo acirramento da competição entre as empresas como pela aceleração de mudanças no mundo corporativo.

E não é nada difícil entender o porquê dessa exigência: quem tem visão de mercado consegue antever mudanças na sua área de atuação e, a partir daí, tomar medidas para usá-las como oportunidades de crescimento. Esse profissional também consegue identificar possíveis ameaças ao sucesso do negócio, o que inclui desde as inovações da concorrência até a aproximação de crises financeiras.

Otimismo

Otimismo não parece ser uma competência essencialmente profissional, não concorda? Mas não se engane: as empresas buscam colaboradores que possuem uma visão positiva diante de desafios e instabilidades. Aí entram o otimismo e o bom humor: fatores que mantêm a motivação dos profissionais. Esses funcionários acreditam que os obstáculos serão superados e que é possível atingir metas sem agir com indelicadeza ou rigidez excessiva com colegas, líderes e subordinados.

Essas competências fazem parte da inteligência emocional de um trabalhador, de sua capacidade de entender seus próprios sentimentos, equilibrar suas reações e, ainda, conseguir desenvolver empatia em relação a seus colegas. Consegue, assim, colocar-se constantemente no lugar do próximo para entender suas motivações e demandas para estabelecer um diálogo produtivo, que beneficie todas as partes.

Por fim, vale lembrar de manter sempre o bom humor para a construção conjunta de um ambiente de trabalho harmonioso, diminuindo a possibilidade de conflitos e aumentando a sinergia entre equipes. Como resultado surge um time muito mais produtivo e engajado, pronto para gerar retorno para o negócio!

Negociação

Ser capaz de articular soluções levando em conta os pontos de vistas de diferentes atores é essencial para quem deseja ter sucesso na vida profissional. Já reparou como são inúmeras as atividades corporativas que exigem negociação em algum nível, seja na compra e venda direta para clientes ou no planejamento de metas e objetivos internos, por exemplo?

O profissional hábil em negociação precisa, portanto, ser um expert em mediar compromissos e encontrar soluções positivas para os envolvidos. Isso não significa simplesmente vencer uma negociação, mas também saber a hora de ceder em alguns pontos para ganhar no quadro geral. O poder de negociação não é um instrumento para simplesmente vencer, mas também para gerenciar conflitos e exercitar a visão estratégica.

Os primeiros passos para o desenvolvimento profissional

Até aqui, listamos várias competências profissionais que são exigidas pelo mercado. Se você acha já domina todas essas habilidades, está de parabéns! Por outro lado, se você sentiu que ainda pode melhorar, não preocupe. Pronto para desenvolver o que falta? A seguir, vamos mostrar, passo a passo, como planejar seu aprimoramento profissional!

Identifique forças e fraquezas

Para saber como se desenvolver profissionalmente, você precisa, antes de mais nada, entender quais são as competências que domina de forma plena e quais habilidades ainda precisam de uma ajuda, aquelas com as quais ainda não estão tão familiarizado. Esse processo de diagnóstico deve ser feito com honestidade máxima, listando um por um de seus pontos fortes e fracos.

É claro que essa avaliação também pode ser apoiada por um profissional especializado, como um coach, seja por meio de algum teste ou por pura observação. Além disso, também é possível descobrir seus pontos fortes e fracos pelos próprios feedbacks dados pelas lideranças da organização. As avaliações de desempenho podem, portanto, funcionar como uma boa base para seu plano de desenvolvimento individual.

Com pontos fortes e fracos devidamente identificados, você consegue ter mais clareza sobre qual tipo de solução precisa encontrar para solidificar suas vantagens competitivas e diminuir eventuais desvantagens.

Trace um plano de desenvolvimento

Um plano de desenvolvimento individual é uma técnica bastante útil para quem deseja adquirir novas competências. Trata-se de estabelecer um objetivo e planejar ações para conquistá-lo. Digamos que você deseja melhorar sua capacidade de liderança e suas habilidades de relação interpessoal. Pode, nesse caso, estabelecer que pretende aperfeiçoar essa competência em 12 meses buscando um curso de especialização em gestão de pessoas, por exemplo.

O plano de desenvolvimento profissional ajuda a criar motivação e disciplina para a aquisição de novas competências, tornando esse processo menos subjetivo e mais pragmático. Também é importante salientar que o plano de desenvolvimento pode até ter ciclos bem definidos, mas nunca deve ser interrompido. Assim, ao atingir um objetivo, trace uma nova meta e um novo prazo para continuar aprimorando suas competências profissionais.

Aproveite oportunidades de aprendizagem

Usar o seu dia a dia para adquirir ou aprimorar competências é a maneira mais simples de investir no seu crescimento profissional. Isso pode ser feito em diversas situações, que vão desde o convívio com colegas até treinamentos oferecidos pela empresa. Participar de congressos e acompanhar publicações voltadas para sua área são boas maneiras para se manter afiado, aprimorando suas competências profissionais.

Aproveite o ambiente de trabalho para aprender com a experiência de colegas e trocar conhecimentos. Ter contato com pessoas de outras áreas também melhora sua capacidade de desenvolver uma visão global da empresa e procurar soluções de integração mais eficazes. Também não se esqueça de usar as boas lideranças como fontes de conhecimento e exemplos para melhorias. Em geral, profissionais em posição de comando possuem grande experiência de mercado e conhecimento técnico, servindo como mentores para seus liderados.

Invista em networking

A boa convivência com colegas não é útil apenas para a troca de conhecimento. Um bom networking também pode ajudá-lo a receber feedbacks mais precisos sobre sua atuação profissional, bem como aumenta sua possibilidade de indicações e amplia os horizontes rumo à sua trajetória de sucesso profissional.

Uma boa rede de contatos também ajuda a receber um fluxo constante de informações do mercado, melhorando sua visão sobre o contexto e sua capacidade de acompanhar tendências. Assim, você poderá não ser surpreendido por grandes reviravoltas no mercado de trabalho.

A importância de investir na sua qualificação

Obter e desenvolver competências profissionais devem ser objetivos diários. No entanto, é preciso acelerar sua curva de aprendizagem e validar essas habilidades sempre que possível. Aí entra a busca por qualificação profissional.

Essa busca quase sempre é associada à realização de um curso de pós-graduação e especialização profissional. Afinal, o investimento em educação continuada traz valiosas oportunidades de desenvolver suas competências. Para que isso fique claro, vamos especificar as vantagens dessa estratégia a partir de agora. Acompanhe!

Aumento do conhecimento técnico

O primeiro objetivo de um curso de especialização é melhorar as capacidades técnicas dos participantes. Nesse sentido, se o objetivo é ser um profissional preparado para gestão de projetos, você vai aprender sobre técnicas, métodos e ferramentas que otimizam esse processo dentro das organizações.

Como os cursos aproximam o conhecimento teórico da prática, os profissionais conseguem testar e validar seu saber em um ambiente controlado para, no futuro, serem capazes de aplicá-lo em um ambiente real. Dessa forma, o desenvolvimento das competências é realizado de maneira planejada e focada em resultados.

Crescimento da rede de contatos

Já falamos aqui sobre a importância do networking para o desenvolvimento de competências profissionais, certo? Mas faltou ressaltar um detalhe que pode fazer toda a diferença: participar de um curso de pós-graduação é promover uma oportunidade diferenciada para melhorar sua rede de contatos.

Em geral, como os cursos recebem profissionais de diversas áreas, você passa a ter contato com outros pontos de vista e realidades, ampliando sua capacidade de entender e atuar em diferentes frentes. Além disso, o aluno tem a oportunidade de apresentar seu trabalho e perfil para colegas que, no futuro, podem indicá-lo ou propor parcerias. Que tal se colocar na vitrine nesse momento de crescimento profissional?

Contato com profissionais experientes

Quem quer desenvolver suas competências profissionais precisa aprender com experts no assunto, não é mesmo? A boa notícia é que as instituições de ensino voltadas para o mercado profissional procuram montar uma equipe de professores gabaritados pelo mercado. Assim, os alunos têm contato com quem possui conhecimento técnico diferenciado, já tendo sido capaz de aplicá-lo no mundo real.

Upgrade para o currículo

Quando falamos em colocação no mercado, seu cartão de visitas é o currículo. É por meio dele, afinal, que recrutadores conseguem ter uma visão geral sobre sua experiência profissional e suas capacidades técnicas. Imagine então se você conta com o diploma de uma instituição de ensino de especialização. Essa definitivamente é uma ótima forma de validar seu investimento no desenvolvimento de competências profissionais!

É preciso ressaltar que a melhoria do currículo é importante não apenas para quem está na fase de recolocação profissional, mas também para quem deseja ter a oportunidade de ocupar cargos de gestão na empresa onde já atua. Isso, claro, sem falar na possibilidade de aumento salarial.

Conhecimento do mercado

Cursos de qualificação de excelência estão sempre alinhados com as expectativas do mercado. É por isso que instituições de ensino investem tanto em pesquisas e no contato com executivos para detectar tendências, absorvendo os conhecimentos do mercado e os traduzindo para as salas de aula. Ao investir em qualificação profissional, você está investindo na sua capacidade de entender o mercado, preparando-se para atuar com excelência.

Flexibilidade no dia a dia

Aprimorar suas competências profissionais além do ambiente de trabalho parece ser uma missão quase impossível para quem tem a agenda cheia e o horário corrido, correto? Nada disso! A boa notícia é que cursos de especialização costumam contar com uma carga horária flexível, que consegue se encaixar no seu planejamento semanal sem maiores problemas.

Como você viu, desenvolver competências profissionais pode ser uma tarefa árdua, mas nem por isso deixa de ser necessária para quem procura ascender no mercado. O que ainda está esperando para correr atrás do lucro? Um bom sinal do seu interesse é você ter chegado ao fim deste post. Mas não pare por aqui! Você pode saber mais sobre como fazer um plano de carreira baixando nosso e-book, por exemplo!

 

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"