Como dar e receber feedbacks e por que ter habilidade nisso é importante

Um bom gestor visa sempre ao desenvolvimento do negócio e precisa contar com habilidades valiosas. Dar e receber feedbacks é uma delas.

Para falar sobre esse assunto — que costuma ser uma dificuldade para muitos, por envolver a gestão de pessoas e competências —, vamos explicar o que é feedback, mostrar dicas de como lidar com isso e explicar por que esse conceito é importante na carreira. 

Continue a leitura e entenda!

O que é um feedback?

O feedback é muito mais que uma conversa que direciona críticas ou elogios. Ele é uma ferramenta para manter a equipe saudável e produtiva, garantindo os resultados e o bom relacionamento entre os colaboradores e a gestão.

Quando você reage a um determinado estímulo, isso quer dizer que há uma resposta sobre o que foi sentido. Numa empresa, projeto ou equipe, toda a operação dos profissionais reflete diretamente na organização, causando impactos e gerando uma resposta que deve ser repassada.

Como dar e receber feedbacks com habilidade?

Resultados podem ser positivos, negativos, neutros, positivos dentro do esperado, negativos dentro do esperado e tantas outras opções que você pode imaginar quando a pauta é desempenho. Sendo assim, saber dar e receber feedbacks torna-se essencial para que o trabalho esteja em constantemente aprimoramento e crescimento.

Pensando nisso, preparamos 8 dicas para que, de fato, você use essa ferramenta com habilidade, de maneira estratégica. Acompanhe!

1. Seja profissional

Por mais que nossas personalidades tenham peso nos nossos relacionamentos cotidianos, é muito importante saber identificar quando um profissional está em ação, entendendo que o perfil pessoal também o compõe e não deve ser abordado diretamente, de modo a não prejudicar o desempenho de trabalho. Nunca leve um feedback para o lado pessoal. Receber uma crítica ou ter que fazê-la não pode significar uma rixa ou capricho partindo de um indivíduo para o outro.

2. Aguce os sentidos

Antes de falar, ouça. Olhe em volta, perceba o ambiente e crie o clima para encontrar a melhor hora de falar. Se você está dando ou recebendo o feedback, a regra continua válida: absorva o que está acontecendo naquele momento.

Um líder que sabe usar o feedback estrategicamente pode alavancar ou destruir a atuação de um profissional. Da mesma forma, receber um feedback e não processar as informações faz com que o ato se invalide.

Receba o que está sendo dito e colocado em pauta para, depois, reagir e responder. Trabalhe as informações, construindo pontes sobre elas, antes de querer argumentar ou concluir. O timing de um feedback é essencial para o seu sucesso.

3. Direcione positivamente

Recebeu uma crítica? Use-a para melhorar. Recebeu um elogio? Use-o para melhorar. Esperou um reconhecimento que não veio da forma que você queria? Use-o para melhorar. Diante dos desafios que enfrentamos no dia a dia de nossas profissões, direcionar bem o que recebemos é fundamental.

Você tem capacidade analítica? Então, faça uso dela. Ao absorver o ambiente, separe cada coisa em seu lugar, tentando tirar o maior proveito de tudo. É disso que se trata a eficiência, certo? Pegue tudo o que recebeu — mesmo quando estiver aplicando o feedback — e coloque em prática, em prol de algum crescimento.

4. Controle a exposição

Sempre que você der um feedback à equipe, trate-a como uma unidade, destacando a importância de cada um dentro do todo. Recomendações, por melhores que sejam, podem ser mal interpretadas.

Por isso, é preciso discernir qual e se há um melhor momento para mencionar diretamente alguém. Você conhece as pessoas com quem trabalha? Procure colocar a individualidade dos integrantes em pauta na hora de decidir como se direcionar.

gestão de pessoas sempre vai ser um assunto com diversas óticas, porque relacionamentos são dinâmicos. Considere todas as opções que estiverem ao seu alcance quando sentir vontade de citar um nome ou chamar alguém em particular para conversar.

5. Trace uma reflexão

Entender um feedback é uma das partes mais importantes da ação. Não há nada pior do que “discordar” do que foi feito ou dito e, assim, não conseguir lidar de maneira construtiva, com nenhuma informação, por ter ficado estacionado nesse porém.

Qual é o seu ponto? Encontre a melhor forma de direcionar o seu pensamento, deixando claro o que está dizendo e sempre abrindo espaço para que as outras pessoas falem e possam esclarecer suas dúvidas.

Há um provérbio que diz que quem entende, reina. Se a sua argumentação é plausível, ela por si se desembaraça, deixando evidente a necessidade daquela fala. Não seja prolixo. Antes, seja cuidadoso e tenha um respaldo notório para o seu discurso.

6. Baseie-se em fatos

Nunca se deve determinar um feedback com base em achismos. Ainda que o seu braço direito ou grande amigo da empresa lhe exponha uma situação, procure sempre comprovações incontestáveis ao dar e receber feedbacks.

Coloque números, relatórios, resultados e todo o tipo de explicação plausível em pauta. Fora disso, embasar uma conversa em acontecimentos incertos ou palpites pode criar um clima ruim, prejudicando o desempenho da equipe.

7. Dê opções de melhoria

Qual é a moral da história? De nada adianta você demonstrar os fatos, explicar o raciocínio por trás deles e não dispor uma opção de resolução para a situação exposta. Da mesma forma, apenas ouvir o feedback e não pensar em qual prática pode mover positivamente torna a crítica desgastante e inútil.

Se você está aplicando o feedback, dê opções. Demonstre preocupação com aquele cenário, colocando-se à disposição para dissolver o gargalo. Se você está recebendo um feedback, pergunte o que pode ser feito sobre, trabalhe ativamente essa ideia e, então, coloque a melhor opção em prática.

8. Respire sempre

Já ouviu dizer que o seu corpo fala? Literalmente. Dar e receber feedbacks pode ser estressante e deixar até os melhores líderes e profissionais em situação de desconforto e insegurança. Preste atenção, inspire e expire.

Respirar regularmente oxigena o cérebro e ajuda a pensar com mais calma e sem precipitações. Tente fazer com o que seu corpo ajude você a se manter no controle e mais calmo. Tente relaxar os músculos e respire sempre.

Qual é a importância dessa habilidade na carreira?

William Deming, pioneiro em estudos de qualidade, nos deu uma grande lição: é impossível gerenciar aquilo que não se mede. Dar e receber feedbacks é a forma com a qual essa medição, de fato, acontece. Ao comunicar os resultados, é preciso ter cuidado para direcioná-los. Para obter ascensão na carreira, é essencial ter capacidade de encaminhar as informações, para tirar proveitos e melhorias delas, inclusive na gestão de pessoas.

Feedbacks têm alto impacto no andamento das organizações, pois tratam do que as movem: o corpo de colaboradores. Manter os bons indicadores pode depender diretamente de como acontece essa movimentação entre a atuação da equipe e os propósitos alcançados, pontuando melhor a forma e o caminho adequado a seguir.

E você? Como se sai ao dar e receber feedbacks? Compartilhe a sua experiência com a gente deixando um comentário neste post!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"