Como superar os maiores desafios profissionais de uma carreira de sucesso?

Concluir o curso universitário é o princípio (na verdade, a semente) da vida profissional. Afinal, depois de se inserir no mercado de trabalho, a ascensão nem sempre é natural. Na maioria das vezes, aliás, é preciso superar uma série de desafios profissionais até alcançar o sucesso. E já parou para pensar que os obstáculos e as conquistas da vida profissional fazem parte de um caminho que nem sempre é tão claro?

Quem pode dizer com exatidão, por exemplo, qual a hora exata de partir para novos desafios ou que objetivos almejar? Por serem extremamente pessoais, existe uma subjetividade intrínseca nessas escolhas. Lembre-se: tais decisões dependem dos anseios e das expectativas de cada um, não existindo uma fórmula pronta para ser aplicada igualmente a todos.

Desde os primeiros anos da formação acadêmica, os estudantes lidam com diferentes oportunidades e são apresentados a inúmeros cenários no âmbito profissional. Aí vêm as descobertas: enquanto alguns gostam do ambiente educacional e se dedicam a ele, outros preferem se lançar no mercado. Há quem deseje fazer carreira no exterior e quem busque oportunidades em empresas nacionais. Uns querem empreender, outros preferem fazer carreira em cargos públicos.

Diante desse leque enorme de possibilidades, a certeza é uma só: será preciso enfrentar desafios profissionais. E sabia que alguns são comuns a praticamente qualquer escolha? Pensando nesse cenário é que resolvemos preparar este conteúdo. Que tal conhecer desde já os obstáculos que terá que ultrapassar para construir uma sólida e bem-sucedida carreira profissional? Então acompanhe os próximos tópicos!

1. Quais são os maiores desafios de uma carreira?

O início da vida acadêmica certamente marcou seus primeiros desafios profissionais. Foi preciso conciliar estudos e vida pessoal com os primeiros passos na construção de uma carreira promissora. E, em toda a trajetória de um profissional, obstáculos e novas etapas a vencer não param de surgir.

Em todo cargo que ocupa o colaborador tem que se preocupar, a todo instante, em manter sua rotina sem perder de vista seu objetivo. Afinal, executar suas atividades com eficiência é apenas um dos pontos necessários à ascensão profissional: é preciso investir sempre em si mesmo.

O fato é que um alto cargo executivo, a presidência de uma empresa ou até o sucesso em seu próprio empreendimento são sonhos construídos a partir de muito esforço e solidificados sob o forte alicerce do preparo.

Com isso em mente, que tal entender, de modo claro e definitivo, quais são os maiores desafios de uma carreira profissional para saber como lidar com cada um deles? Continue acompanhando!

1.1. Construir uma boa rede de contatos

Seja na sala de aula ou compartilhando seu tempo com outros profissionais em um curso de pós-graduação, entenda: ali estão seus futuros colegas de trabalho e pessoas que vão referenciá-lo no mercado — positiva ou negativamente. Então nada de subestimar seus contatos em cursos, sejam eles de curta ou longa duração! Lembre-se: é bem possível que você os encontre em oportunidades futuras ou que possa aproveitar esses contatos de uma forma ou de outra.

Acredite: uma rede de contatos ampla e bem construída é uma das formas mais eficazes de se abrir portas. Por mais que alguns vejam a indicação com olhos negativos, essa é sim uma das principais formas de identificar talentos. E isso tem lá sua razão! Afinal, bons profissionais sabem que pessoas indicadas por eles são, até certo ponto, sua responsabilidade. Assim, eles não lhe darão o benefício da indicação positiva se não tiverem certeza de que estão tomando a decisão certa.

Por essas e outras, desperdiçar oportunidades de conhecer pessoas e passar uma boa impressão é um erro grave para qualquer profissional. Sabendo disso, trate de frequentar workshops, correr atrás de cursos, palestras e eventos, além de se manter ativo nas redes sociais, com argumentos construtivos e oportunos, que falem bem a seu respeito. Além disso, também vale tomar atitudes inteligentes, tais como:

  • manter-se pontual e disciplinado em suas atividades acadêmicas e de pós-graduação;
  • respeitar todos a seu redor, inclusive a hierarquia que liga você a seus tutores;
  • falar bem, expressar-se claramente e saber quando deixar que o outro fale;
  • vestir-se de acordo com cada grupo e ocasião;
  • dar o melhor de si sempre, demonstrando não ter medo de responsabilidades.

Veja que essas são características cruciais para uma vida profissional bem-sucedida. Assim, independentemente da ocasião, imprimi-las à sua imagem é uma forma de marketing pessoal muito útil, especialmente quando você está construindo sua network. Pronto então para aliar a construção de uma boa rede de contatos a atitudes inteligentes, que passem excelentes impressões a seu respeito?

1.2. Procurar se diferenciar no mercado

Quem é que não quer ser aquele profissional por quem as empresas disputam? Inverter a situação, deixando de ser quem busca posições para passar a ser convidado a novos desafios é o desejo de muita gente. Entretanto, isso definitivamente não acontece da noite para o dia. É preciso batalhar bastante para se tornar uma referência positiva no mercado e ser desejado pelos mais interessantes players do seu ramo.

Nesse sentido, o passo primordial é se diferenciar dos demais. Pense bem: em uma entrevista de emprego, ser aquele que está no mesmo nível e oferece as mesmas qualidades que os concorrentes é ser apenas mais um. E, como você deve imaginar, as grandes empresas não buscam só mais um. As melhores querem também os melhores, aqueles que saltam aos olhos, que chamam a atenção dos demais a seu redor.

Isso é ser diferente, é ter o que os outros não têm. E essa diferenciação se dá pela construção de algo básico no mundo corporativo: o CHA — sigla para Conhecimento, Habilidade e Atitude. Fique de olho para entender melhor!

Conhecimento

Basicamente, ter conhecimento é saber a teoria, o que se aprende na sala de aula. Vale lembrar, porém, que essa não é uma qualidade estática. Na realidade, ela é bastante dinâmica! Isso porque o conhecimento nas mais diversas áreas está constantemente se reinventando, renovando-se conforme a tecnologia, a ciência e o mercado evoluem.

O conhecimento transforma um profissional naquele que sabe o que tem que fazer. E esse profissional tem que entender o quanto antes que dominar esse ponto é uma tarefa diária, contínua. Afinal, o que você sabe hoje pode se tornar totalmente obsoleto amanhã mesmo! E se você quiser se manter diferenciado no mercado, não pode ter sabido, mas sim efetivamente saber.

A dica aqui é não parar de aprender. E quando falamos disso estamos falando de aproveitar todas as oportunidades para absorver novos conhecimentos. A chave está em olhar tudo com novos olhos, com olhos de criança. Quem está aberto a aprender acaba evoluindo um pouquinho a cada dia e não para nunca de se tornar um profissional melhor.

Ficou sabendo de um curso que agrega conhecimentos novos? Inscreva-se. Se organizarem um workshop em sua área, participe. Estreou um filme novo no cinema que tem feito muito sucesso? Assista. Se determinado livro vem sendo muito bem referenciado, leia. Um coach renomado está dando uma entrevista na TV? Pare e escute. Aprender e adquirir conhecimento mantém sua mente ativa e faz com que, a cada momento, você seja um profissional (e uma pessoa) melhor.

Habilidade

A habilidade é a capacidade de colocar em prática o conhecimento. Você detém o conhecimento? Ótimo! Mas será que sabe usá-lo? Não se esqueça: é a experiência que constrói a habilidade. A troca ativa com outros profissionais confere a você a habilidade de transformar o conhecimento em algo útil, prático, aplicável a uma empresa. Assim conseguirá trazer processos melhores e resultados mais positivos!

Atitude

O conhecimento depõe a seu favor: você entende bem de um assunto. A habilidade diz que você sabe colocá-lo em prática. A pergunta, agora, é: você realmente o faz? Se você quer usar sua experiência de forma positiva e transformá-la em fatos, tenha atitude. É preciso lembrar que, sem a prática, o saber é inútil. Afinal, não é simplesmente um quadro para se pendurar na parede.

Imaginemos agora uma situação bastante comum em várias empresas: profissionais com currículos excelentes e uma vasta experiência são contratados, mas, quando recebem as ferramentas para usar todo seu potencial para ajudar o negócio a crescer, as promessas simplesmente não se cumprirem. Isso acontece graças ao comodismo.

Uma pessoa acomodada tem dificuldades para sair da sua zona de conforto e se esforçar. Esse tipo de profissional tem o que precisa (conhecimento e habilidade), mas não coloca a teoria em prática. É como um cozinheiro que tem à disposição o fogão e o gás, mas não se dá ao trabalho de acender o fósforo. Diante disso, fica fácil entender como ser uma pessoa prática, proativa e determinada pode diferenciá-lo da multidão, não é mesmo?

Anote aí: nada de passar a impressão de que tudo está bem assim, como as coisas estão agora. Tenha sempre vontade de mudar para melhor! Em vez de se esquivar de novos desafios, o que demanda mais dedicação, tempo e esforços, puxe-os para você! Dessa forma, você conquista a admiração e o respeito que farão com que seja procurado pelas grandes empresas.

1.3. Manter-se atualizado

Para conseguir se transformar nesse profissional desejado e alcançar as melhores posições do mercado, não tenha dúvida: você nunca deve parar de aprender. Um profissional inovador está sempre acompanhando as últimas tendências, conhece o cenário socioeconômico, entende de tecnologia de ponta, indica rumos e vislumbra novos horizontes.

Para introjetar essa cultura de inovação, é necessário contar com atualização constante. Como dissemos, o conhecimento está longe de ser imóvel. Na verdade, ele é extremamente dinâmico. Justamente por saberem que a concorrência mais perigosa é a mais atualizada é que grandes profissionais procuram se reciclar constantemente.

E existe aqui uma outra questão importante: algumas pessoas concluem seu curso superior e buscam, a seguir, uma segunda graduação, geralmente complementar à primeira. Outras, por sua vez, preferem buscar uma especialização e dar sequência a seus estudos. Qual é a melhor escolha? Fazer uma segunda graduação ou uma pós?

Por mais que essa seja uma questão extremamente pessoal, podemos ajudá-lo a pensar sobre o assunto. Veja bem: uma segunda graduação não oferece um diferencial claro. Hoje, tanto pelas crescentes exigências do mercado como pela facilidade de acesso a cursos superiores nas mais diversas áreas, graduar-se é ter o básico. Podemos dizer, portanto, que o profissional graduado de hoje é o secundarista de ontem.

Por outro lado, a pós-graduação dá destaque na medida em que diferencia um candidato dos demais. E o melhor é que ela é contínua e complementar, indo de especialização a pós-doutorado, passando por mestrado, doutorado, MBA e PhD. Não existe uma equiparação entre as opções, mas sim uma congruência que faz com que cada uma agregue um diferencial a mais.

Repare como a maioria dos executivos de multinacionais e grandes empresas tem muito mais que uma graduação. E isso vai bem além da valorização do conhecimento formal! A maioria desses profissionais dedica um tempo considerável aos estudos, lançando mão de disciplina e comprometimento para conquistar cada degrau da sua carreira. Isso, por si só, já fala muito bem de um candidato.

1.4. Manter-se constantemente motivado

Como você pode ver, construir uma carreira é uma grande conquista, uma vitória construída a partir de muito esforço. E isso requer automotivação! Não adianta se deixar afetar pelo meio. É preciso saber quando avançar e quando mudar de estratégia, nunca se deixando acomodar.

Alocados em posições que não agradam, muitos profissionais acabam caindo na desmotivação. O grande problema disso, além da péssima sensação de não estar cumprindo suas obrigações, é que você desgasta a imagem profissional que demorou tanto para construir. Saiba: a motivação deve nascer de você. E não estamos falando aqui de estar satisfeito em qualquer circunstância. Você é um profissional de valor e, como tal, deve querer sempre o melhor, já que oferece também o melhor.

Não está satisfeito com sua situação profissional atual? Então busque novas oportunidades, desde que sempre mantendo a excelência. As circunstâncias negativas não devem defini-lo. Se você pretende mudar de cargo ou de empresa, faça-o. O importante é entender que desgastar sua imagem com desmotivação é um retrocesso na construção da sua carreira. Motive-se tendo como base seus valores pessoais e sua própria imagem profissional e não o meio e a situação.

1.5. Ser autogerenciável

Um outro desafio a ser superado para se tornar um profissional de excelência é ser autogerenciável. Isso significa não esperar que alguém tenha que dizer o que você deve ou não fazer. Deixe que a disciplina e o senso de obrigação pontuem suas atitudes, estejam seus superiores presentes ou não. Seu comprometimento com resultados precisa vir de sua postura profissional. Comprometa-se consigo mesmo!

Especialmente altos cargos exigem um alto nível de autogerenciamento. Afinal, na maioria dos casos, você não estará sujeito a relógios de ponto e controles de horário, por exemplo. É preciso, assim, elevar o nível de compromisso que mantém com a empresa para ver esse envolvimento se refletindo nos resultados que entrega.

Se você for aquele executivo que chega quando quer e sai quando bem entende, dificilmente conseguirá mostrar a competência que o cargo exige. Mas atenção: não adianta usufruir da flexibilidade apenas porque ela existe! Muitas vezes, altos cargos pedem mais do que dão em troca. Pode ser preciso estender seu horário, por exemplo, indo além do funcionário padrão, que chega às 8h e sai às 18h.

Além disso, o autogerenciamento dá a você a segurança de não ser pego no contrapé, sendo cobrado por algo que deixou de fazer. Não parece ótimo? Mas como conquistar essa característica? Para isso, é preciso ter atitudes tais como:

  • prezar pela pontualidade em compromissos, ainda que ninguém o cobre nesse sentido;
  • manter sua caixa de e-mails atualizada, limpa e bem organizada;
  • não deixar que qualquer processo ou informação estagne sob sua responsabilidade;
  • buscar relatórios e informações sobre seu próprio desempenho para analisar seus resultados;
  • solicitar feedback aos colegas diretos, sejam eles superiores ou apoios.

1.6. Administrar bem seu tempo

Esse desafio está profundamente ligado (como causa e consequência) com o anterior. Afinal, para se autogerenciar, você precisa ter domínio do seu tempo. É importante lembrar, então, que uma das grandes inimigas do sucesso profissional é a procrastinação. Perder tempo com atividades que não são apropriadas ao momento e dispersar sua atenção em interesses secundários desviam o foco do que é realmente importante.

Pode acreditar: a boa administração do tempo é a chave para fazer um dia de trabalho render bons resultados e para que você não tenha aquela desagradável sensação de que perdeu o dia inteiro sem fazer nada de útil. Por isso, mantenha o foco em suas atividades, tenha disciplina com a entrega de cada compromisso e use ferramentas tecnológicas para ajudarem no controle dos prazos das atividades.

1.7. Exercitar sua resiliência

A única constante na vida é a mudança: você por acaso já ouviu essa máxima? Pois saiba que, mais que em qualquer outro âmbito, ela é extremamente válida para a vida profissional. De fato, as mudanças não devem ser vistas com olhos negativos, uma vez que oxigenam e renovam, oferecendo perspectivas novas.

Para colher esses benefícios, porém, é preciso ter flexibilidade para suportar os períodos de adaptação e as alterações de rotina. É fundamental, portanto, ser resiliente. A resiliência implica saber lidar com cenários de dificuldades e mudanças. Assim, se você é uma pessoa inflexível, que não consegue enfrentar bem os ventos contrários, exercite desde já sua resiliência!

1.8. Saber quando mudar

Por falar em mudanças, o último desafio que trazemos é exatamente esse: saber quando é preciso mudar. Na prática, um número incontável de profissionais simplesmente estaciona na carreira por temer a mudança. É essencial entender que sair da inércia pode ser doloroso sim, mas é também necessário para quem deseja crescer profissionalmente. Entrelaçam-se aqui a resiliência, a automotivação, o autogerenciamento e a constante atualização profissional.

Se o caminho que você está seguindo não aponta para o rumo que almeja, trate de encurtar o tempo de dedicação da sua vida a essa estrada! Entenda o que falta para alcançar seus objetivos e delineie um plano de ação para partir para a luta. Não se esqueça: você pode até parar na vida profissional, mas não estacionar.

2. Como se planejar para superar esses desafios?

Citamos aqui 8 desafios profissionais com os quais a maioria das pessoas se depara em suas jornadas. Muitas delas até os reconhecem, mas não fazem ideia de como superá-los. Eis a dica que acabamos de dar no fim do tópico anterior: planeje-se! O que falta para fincar sua bandeira de vitória em cada um deles?

Entenda que o princípio de tudo está no conhecimento. Adquiri-lo é, assim, o primeiro passo. Apenas detendo o conhecimento é que você tem como construir a habilidade e colocar teoria em prática. Então não perca tempo: estude. Defina uma escala de conquistas: qual será seu próximo diploma? À medida que adquirir novos conhecimentos, agregará um valor profissional que ninguém pode contestar ou retirar de você.

3. Como buscar um diferencial competitivo?

Como esse é um dos desafios de que falamos, seremos bem práticos na resposta, ok? Tenha em mente que a diferenciação surge quando você tem algo a mais a oferecer. Se você quer construir uma carreira e investir em qualificação, precisa traçar um plano. Para isso, saiba aonde quer chegar. Tendo clareza desse pódio almejado, você saberá que cursos deve fazer para construir o perfil profissional adequado.

Se não tiver sequer ideia, busque o currículo de outros profissionais na mesma posição e observe o que eles têm (e que você precisa adquirir) para se tornar competitivo. Só não perca de vista a importância do planejamento, do traçado de um caminho.

Primeiramente, a universidade. Esse passo já está superado? Ótimo. O próximo degrau a subir é uma pós-graduação. E assim você segue, sempre se direcionando para os cursos que vão contribuir para formar o perfil que você pretende ter. Assim, aos poucos, você vai construindo seu diferencial competitivo de forma consciente em vez de sair atirando para todos os lados, sem formar uma imagem sólida.

4. Como investir da forma certa em qualificação?

Ao se planejar para esse crescimento contínuo, lembre-se da importância da pós-graduação. Afinal, ter um diploma de nível superior é praticamente um requisito básico para cargos iniciais hoje em dia. Para conquistar posições melhores, não tenha dúvida: você deve ter a pós como sua aliada.

Com esse propósito, parta em busca de uma instituição conceituada. E não apenas porque as empresas dão mais valor a certos nomes, mas porque você precisa ter segurança de que está investindo nos melhores educadores e de que os conceitos ali aprendidos serão excelentes para que os leve à vida prática.

E como uma formação se propõe a atender às demandas do mercado, um bom ponto de análise consiste no perfil dos professores. Instituições que contam com um corpo docente formado por executivos com experiência prática podem oferecer a você muito mais. Afinal de contas, a experiência que eles compartilham contribuirá significativamente para sua qualificação. Portanto, não esqueça de avaliar:

  • o alinhamento do curso escolhido com sua carreira profissional;
  • a relação de continuidade com seu currículo;
  • o renome da instituição no mercado;
  • a formação e a experiência do corpo docente.

É fato: sua formação profissional é o mais sólido alicerce para construir uma carreira de sucesso e vencer os desafios profissionais que ela traz. Nesse cenário, é vital entender que o estudo é o maior aliado de qualquer pessoa que quer se destacar em qualquer que seja sua área.

Pronto então para investir continuamente na sua evolução e garantir o alcance de seus maiores objetivos profissionais? Não esqueça que a Fundação Dom Cabral é sua parceira nessa jornada! Por isso, assine agora mesmo a nossa newsletter para ter acesso, em primeira mão, a notícias que o ajudarão no dia a dia do mundo corporativo!

2 Comentários

  1. Felipesays:

    otimas dicas! realmente o sucesso anda de mãos dadas com o estudo

    • Isadora Gontijosays:

      Felipe,
      Agradecemos seu elogio. Você pode assinar nossa Newsletter e quinzenalmente enviaremos outros posts do Blog com variados assuntos sobre gestão.
      Em caso de dúvidas estamos à disposição.

      Isadora Gontijo – Fundação Dom Cabral

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"