Conheça 7 passos para se diferenciar no mercado de trabalho

Como bem disse o diretor cinematográfico Frank Clark, “se você encontra um caminho livre de obstáculos, ele provavelmente não leva a lugar algum”. Reparou como tal ensinamento se assemelha à guerra que travamos no mercado de trabalho em busca de consolidação na carreira, reconhecimento profissional e remuneração compatível com nossas expectativas?

Tratando justamente do assunto, uma pesquisa da Catho divulgada em 2015 revelou que 54,3% dos profissionais brasileiros acreditam ter uma boa perspectiva de crescimento profissional para os próximos 3 anos. Mas quantos desses entrevistados estão, de fato, mudando suas atitudes para redesenhar seu futuro? Será que todos eles sabem quais são os passos essenciais para conseguirem se diferenciar no mercado? E você, sabe?

Hoje você conhecerá algumas leis do crescimento profissional, atitudes bem comuns (e indispensáveis) aos mais bem-sucedidos executivos do mercado quando eles ainda eram apenas aspirantes ao sucesso. Vamos lá?

Procure por especialização: vá além do lugar-comum

Em primeiro lugar, renuncie à satisfação — afinal, os satisfeitos não se aperfeiçoam em nada. A maioria dos brasileiros encerra seu ciclo de estudos na assinatura do diploma de graduação, um erro brutal que explica por que há tantos bacharéis desempregados, sem conseguir colocação no mercado.

Então anote aí: uma pós-graduação é uma oportunidade de ouro para expandir seu networking com profissionais que já estão no mercado — colegas e professores que, em sua maioria, são executivos de renome. Outro fator importante a considerar é que as ciências mudam ao longo do tempo. Assim, em 10 anos, novas estratégias de gestão são desenvolvidas, a legislação é alterada e métodos de escriturações contábeis são modernizados. Por isso, nada de subestimar a força do tempo.

Por fim (mas não menos essencial), ter um curso de pós-graduação denota que você é um profissional distante das pegadas da acomodação, o que já conta muitos pontos a seu favor em qualquer entrevista de emprego.

Seja proativo: assuma responsabilidades e faça acontecer

Desenvolva a capacidade de tomar decisões, ousar e criar soluções eficazes sem levar problemas à chefia. É primordial ir além do básico, do que simplesmente lhe é mandado. Um profissional proativo é rápido e eficiente, ocupa o tempo livre com a busca insaciável por conhecer o trabalho de outras áreas e outros profissionais, adquirindo uma visão cada vez mais global sobre os processos da empresa.

Acredite: o estrabismo profissional, visão fragmentada de quem se acomodou durante anos e mais anos com as atividades que lhe foram determinadas, é uma das forças motrizes do fracasso na carreira.

Adquira capacidade de gestão: agregue valor aos projetos

Um projeto envolve 3 fatores críticos principais: tempo, prazo e custo. Gerenciar todas essas variáveis e extrair o máximo de uma equipe de multiespecialistas, alcançando o sucesso delineado na fase de planejamento, é tarefa árdua. Mas esse desafio pode ser visto pela alta cúpula como um interessante exercício de gestão em miniatura.

Ser bem-sucedido na gestão de projetos costuma render excelentes novas oportunidades em qualquer empresa. Não tem grande experiência no assunto? Não se preocupe! Uma especialização em gestão certamente o ajudará bastante!

Desenvolva espírito de liderança: conquiste sua equipe

Elogiar em público e criticar em particular, saber comunicar suas ideias ou as ações que devem ser empreendidas, motivar seus colegas de trabalho e convencer pela conquista e não pela imposição autoritária: a verdade é que um líder de fato sequer precisa ocupar um cargo de chefia.

Existem muitas lideranças informais nos departamentos das empresas. E essa ascendência, quando usada para incrementar resultados, superar metas e alcançar os objetivos corporativos, costuma resultar em reconhecimento da direção, com consequente promoção.

Valorize o networking: seja interessante sem ser interesseiro

Já ouviu falar que a vida é a arte do encontro? Pois é no ambiente de trabalho que essa máxima se torna especialmente importante. Já parou para pensar sobre o conceito de networking? Resumindo: é um conjunto de técnicas e atitudes cuja aplicação requer um comportamento de solidariedade e de ajuda recíproca de todos que reconhecem a permanente interdependência das redes de relacionamento. Mas apesar de a importância do networking ser indiscutível, poucos sabem realmente usá-lo.

Uma pesquisa do Instituto de Desenvolvimento de Conteúdo para Executivos (IDCE), feita em 2013, revelou que 80% deles reconhecem a estratégia, mas não sabem usá-la de forma eficiente. E um dos erros mais comuns é se preocupar com networking apenas quando necessário. Isso faz com que o profissional se aproxime de outros de forma artificial, o que costuma causar efeitos negativos.

O ideal, na verdade, é que o networking seja usado para construir uma rede de contatos sólida ao longo de anos. Graduação, especialização, empresas anteriores, cursos de aperfeiçoamento ou de idiomas: todos os espaços podem ser úteis para a criação de interações de longo prazo, que abrem portas e ampliam suas possibilidades de crescimento no mercado de trabalho.

Aposte na persistência: some pequenos esforços diários

A dedicação precede o sucesso. Mostrar valor e conquistar a confiança da alta cúpula da empresa exige tempo e paciência, algo que nem todos os profissionais têm. Dessa forma, é preciso persistência não somente para se deixar conhecer, mas também para entender a cultura do negócio, que características são valorizadas e o que fazer para aprimorar suas competências. Lembre-se: o mercado impõe esforços ininterruptos em busca do sucesso.

Imponha-se positivamente: abuse do marketing pessoal

Com raras exceções, é possível afirmar que não há muito lugar para os tímidos no agressivo mundo dos negócios. Em outras palavras: não basta ser um bom profissional, é preciso mostrar que você é o que crê ser.

De nada adianta ser extremamente talentoso e não deixar que sua chefia perceba o quanto você faz diferença no departamento. O marketing pessoal passa por vencer o medo de se pronunciar nas reuniões de trabalho e superar o receio de tomar decisões, tornando-se persuasivo na defesa de suas ideias. É preciso ser audacioso, perdendo o paralisante medo do erro. Todos esses detalhes formam o tênue limiar que divide a estagnação e a ascensão profissional! De que lado você quer estar?

Curtiu nosso post de hoje? Que tal então continuar recebendo novidades sobre o mundo dos negócios, o mercado de trabalho e os cursos de aprimoramento profissional que pode fazer? Siga a Fundação Dom Cabral no Twitter e no Facebook!

 

2 Comentários

  1. Muito bom … Dicas muito boas .
    Sempre valorizei o marketing pessoal ,o networking e especializações , mas preciso me manter assim .

  2. marinalvasays:

    muito bom , super indico, dicas muito boas.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"