Conheça os 9 tipos de inteligência e descubra qual é o seu

Liderar uma multinacional, criar uma teoria que muda a história da humanidade, compor canções capazes de emocionar qualquer um que as ouve… Você já parou para pensar porque algumas pessoas têm o poder de fazer essas coisas extraordinárias? A resposta para essa pergunta está em um conceito conhecido como “tipos de inteligência”.

Diferente do que muitos pensam, inteligência não é algo único, ou seja, uma característica que uma pessoa tem ou não: existem diversos tipos! Basta pensar no nosso dia a dia. Alguns têm dificuldade em matemática, mas sabem dançar como ninguém. Outros podem ser experts em cálculos, mas não conseguem manter uma pessoa entretida em uma conversa por mais de dois minutos.

Albert Einstein é um desses exemplos: mesmo sendo considerado um gênio, não era uma pessoa eloquente em público e mal podia falar até os quatro anos de idade.

Assim, o que realmente faz de alguém inteligente? Para responder a essa pergunta, vamos falar um pouco mais sobre os tipos de inteligência que cada indivíduo pode ter e como explorá-las para alavancar a sua carreira. Ficou curioso para descobrir em qual tipo se encaixa? Continue lendo!

1. Entenda o que é inteligência emocional

Um dos tipos de inteligência mais importantes para o mundo empresarial é a inteligência emocional. Daniel Goleman, o psicólogo estadunidense que ajudou a popularizar essa teoria, a define como a capacidade de reconhecer as suas emoções (e as dos outros!) e saber lidar com elas de maneira positiva.

Para o psicólogo, um dos fatores mais determinantes para desenvolver a inteligência de um indivíduo é o autoconhecimento. Pessoas que conhecem a si mesmas são capazes de sobreviver em qualquer ambiente, lidar com conflitos, resolver problemas e encontrar os melhores caminhos para prosperar.

Além de se autoconhecer, esse tipo de inteligência exige que as pessoas se autorregulem, sejam empáticas e coloquem em prática as suas habilidades sociais.

Mas o que isso significa na prática?

É simples. Ter inteligência emocional na rotina é dominar o impulso de brigar com colegas de trabalho por qualquer motivo, seja ele grave ou banal, é não deixar que situações adversas corriqueiras — como um engarrafamento ou uma conta a pagar, por exemplo — atrapalhem seu dia. É saber enfrentar os desafios sem perder a calma.

Além disso, ser emocionalmente inteligente não diz respeito apenas sobre lidar consigo mesmo: trata-se, também, da capacidade de se comunicar bem, ser empático com os problemas e emoções dos outros e respeitar as diferenças das pessoas com quem convive, dando espaço para que elas sejam o que são, e não quem você gostaria que fossem.

No ambiente corporativo, ter inteligência emocional para lidar com as situações que surgem, positivas ou não, influenciará diretamente na resolução de problemas, nos relacionamentos com liderança e outros colaboradores. Consequentemente, isso influirá na evolução da sua carreira e satisfação pessoal.

2. Saiba qual é a importância da inteligência emocional

É muito comum acreditar que um profissional de sucesso é determinado apenas pelo seu conhecimento técnico. Isso leva muitas pessoas a se capacitarem, investirem em especializações e treinamentos para buscarem o seu lugar ao sol. No entanto, mesmo assim podem não conseguir obter um bom desempenho, colocação melhor ou dar uma guinada na carreira.

Isso acontece porque a expertise também precisa vir acompanhada da inteligência emocional. Goleman acredita que o QI de uma pessoa determina apenas 20% do sucesso que ela terá em qualquer área da vida.

Um músico, por exemplo, mesmo que toque um instrumento com maestria, ainda assim precisa saber ouvir as notas com clareza, ter carisma para lidar com o público e humildade para saber a sua hora de entrar durante uma canção.

No mundo corporativo, esse exemplo serve para qualquer profissional. Mesmo que você tenha um conhecimento acima da média, dificilmente, vai criar uma estabilidade ou se adaptar em uma empresa se está sempre envolvido em conflitos e/ou não sabe lidar com as diferenças e ouvir orientações.

No fim, mesmo com um currículo recheado ou diversos diplomas, o profissional precisa ter a capacidade de agir com moderação diante das dificuldades, pensar com clareza e agir com cautela para equilibrar sua vida pessoal com o trabalho.

Porém, sem conhecer a si mesmo dificilmente ele será capaz de explorar melhor suas características positivas, vencer crises, lidar com prazos e demandas, além de enfrentar outros percalços do mercado.

Isso mostra porque muitas pessoas, mesmo com uma formação inferior à outras, se tornam líderes admirados e profissionais com uma performance marcada por resultados e crescimento para a empresa a qual prestam serviços.

Os emocionalmente inteligentes sabem, ainda, que situações negativas são inevitáveis, mas conseguem canalizá-las para tomar decisões com mais clareza. Outro ponto forte é que nunca culpam os demais pelos seus erros ou problemas. Pelo contrário, eles motivam os seus liderados ou colegas de trabalho a também vencerem.

Geralmente, essas pessoas reconhecem suas limitações, mas param de perder tempo se concentrando nelas e exploram aquilo que têm de bom. Ou seja: descobrem qual dos tipos de inteligência têm e extraem o melhor dela. A seguir falaremos um pouco mais sobre elas!

3. Conheça os outros 9 tipos de inteligência

Como já te mostramos na introdução deste post, a inteligência tem muitas caras. Em 1983, com o livro Estruturas da Mente, o psicólogo Howard Gardner, formado pela Universidade de Harvard, provou essa afirmação com a Teoria das Inteligências Múltiplas e colocou em xeque o famoso teste de Quociente de Inteligência (QI), amplamente usado para definir quem era inteligente ou não.

Essa teoria listou 9 tipos de inteligência, levando em conta a herança genética unida a fatores ambientais e sociais para explicar porque algumas pessoas se destacam em algumas áreas e outras não, porque algumas conseguem desenvolver um perfil de gestor e outras preferem se manter nos bastidores, e assim por diante.

É importante lembrar que uma pessoa pode trazer características de mais de uma desses tipos de inteligências, mas saber qual delas predomina na sua personalidade pode ajudá-lo a se tornar um profissional mais consciente das suas habilidades. Ficou curioso? Confira quais são elas e qual mais representa você:

3.1. Inteligência Linguística

Um dos tipos de inteligências mais promissoras nas empresas é a linguística. Ela pode ser observada naqueles profissionais comunicativos e sociáveis, que conseguem falar bem em público, expressar suas ideias com clareza e trabalhar bem nos projetos em equipe. Ou seja, aqueles que sabem fazer um bom uso da linguagem, tanto a oral quanto a escrita.

Na carreira, essas habilidades são essenciais para conseguir resultados positivos. Afinal, quase todas as atividades de uma empresa, ou até mesmo de um trabalho freelancer, exigem uma boa comunicação: com clientes, com colegas de trabalho, com a liderança e com o público.

E as vantagens não param por aí. A inteligência linguística também está associada à qualidade de escrita, à criatividade, à sociabilidade e à inovação — elementos que tornam qualquer profissional valioso para o mercado!

3.2. Inteligência Lógica

Diferente das pessoas com perfil linguístico, as com um tipo de inteligência lógica não têm a linguagem como aliada. Quer dizer, a linguagem que elas dominam é a lógico-matemática, a racional, focada na resolução rápida de problemas e criação de estratégias.

No mundo empresarial, esses são os profissionais que dominam os números, conseguem realizar tarefas complexas e apresentam um talento matemático único. Por isso, não é raro encontrá-los na área de tecnologia, na ciência ou na engenharia.

Seu perfil costuma ser mais introspectivo e racional, o que torna o trabalho em equipe algo complicado, mas essa não é uma regra. Também é possível encontrar pessoas com esse tipo de inteligência envolvidas em atividades sociais, mesmo que não seja algo tão comum.

O que mais se destaca nesses profissionais é o seu forte de senso de organização, visão estratégica e inteligência de mercado únicas. Isso os coloca no topo quando se trata de liderança!

3.3. Inteligência Espacial

Este tipo de inteligência pode não parecer tão relevante ou especial à primeira vista, mas possui um destaque especial no mercado de trabalho. Principalmente quando associada a outros tipos ou usada em áreas como: arquitetura, design, cartografia e engenharia.

Isso acontece porque pessoas com inteligência espacial têm facilidade em visualizar imagens tridimensionais e materializá-las em projetos criativos ou ideias que envolvem mudanças e construção de espaços.

Quando se fala em inteligência espacial, outra característica que se destaca é o senso de imaginação e a capacidade de enxergar soluções para problemas seguindo caminhos que ninguém mais segue. Essa capacidade criativa e inovadora torna essas pessoas valiosas para o mercado de trabalho, especialmente pela sua habilidade de sair do lugar-comum e perceber o espaço e contexto em que se inserem.

3.4. Inteligência Motora

Pessoas com inteligência motora, também chamada de inteligência corporal, têm um controle impressionante do próprio corpo. Elas conseguem orquestrar cada movimento que fazem e esse talento se reflete principalmente na dança e no esporte, por exemplo.

Dentro de um ambiente executivo, esse tipo de inteligência não tem tanta utilidade prática, mas ela pode trazer um desenvolvimento indireto para uma boa atuação.

Pessoas que trabalham bem com o corpo e buscam o seu desenvolvimento são capazes de aumentar a capacidade da sua mente com a prática de exercícios, costumam ser mais produtivas e realizam tarefas complexas em menos tempo, características essenciais para uma boa performance profissional.

Além disso, a inteligência motora dispõe de uma forte influência no controle emocional e também nas noções de espaço. Um dançarino, por exemplo, precisa saber como se movimentar dentro de um espaço e encontrar maneiras de aproveitá-lo com maestria, ter capacidade de ouvir o ritmo da música, disciplina para executar uma coreografia e inteligência emocional para lidar com os seus erros.

Se levarmos essas características para o mundo profissional teremos um colaborador proativo, que sabe até onde pode chegar, trabalha bem em equipe e transforma as suas falhas em mudanças positivas. E quem não quer esse perfil profissional na sua empresa?

3.5. Inteligência Musical

Este é um dos tipos mais raros de inteligência e envolve controle pessoal, paciência e vontade de aprender. E não só os músicos a detêm.

Mesmo sendo essencial para a criação de músicas e melodias, para o canto e para o uso de instrumentos, ela pode ser facilmente utilizada no dia a dia e na carreira, já que uma das principais qualidades de quem tem a inteligência musical é a sua capacidade de ouvir.

Pessoas com inteligência musical são aquelas com sentidos aguçados. Elas nunca perdem um prazo por negligência, sabem tudo aquilo que foi dito em uma reunião, apresentam boa memória em se tratando de livros lidos ou palestras assistidas.

Por isso, conseguem utilizar a criatividade para a inovação e são capazes de emocionar as pessoas com quem têm contato. Desse modo, esse tipo de inteligência está frequentemente associado a outros, como a linguística e a motora.

3.6. Inteligência Naturalista

A inteligência naturalista está ligada à compreensão da natureza e seus elementos, e foi incluída na lista de Gardner apenas na década de 90.

Extremamente aguçada em profissionais que trabalham com animais, oceanos, plantas, ecossistemas e geologia, ela nem sempre é levada em consideração nos artigos e textos que listam os tipos de inteligência importantes para quem trabalha em ambientes corporativos, o que é um erro, já que pode ser de extrema serventia, principalmente para os líderes.

Eles conseguem se sentir confortáveis perto da natureza, mas também são capazes de observar e se aprofundar naquilo que diz respeito às características humanas. Esse tipo de qualidade traz um tipo de sensibilidade aguçada, mais aflorada do que as outras inteligências já conhecidas e listadas neste post. 

3.7. Inteligência Existencial

Ter a capacidade de refletir sobre o seu lugar no mundo, sobre a existência humana e sobre si mesmo nem sempre é considerado um tipo de inteligência. Mas essa habilidade é sim algo que torna uma pessoa especial, principalmente porque está associada ao autoconhecimento — elemento mais marcante da inteligência emocional.

Saber o que o motiva, controlar os gatilhos de que afetam as suas emoções, entender as suas habilidades e a sua missão como pessoa é algo que poucas pessoas têm. Além de ser fundamental para se sobressair em um mundo marcado pelas mudanças e por acontecimentos nem sempre tão positivos.

No mercado de trabalho, profissionais que têm inteligência existencial conseguem lidar melhor com as situações e com as pessoas, além de desenvolver mais facilmente características como: a paciência, a resiliência e a produtividade.

Eles também têm a capacidade única de se gerenciar, fazer mudanças em si mesmos e entender se estão seguindo o caminho certo.

3.8. Inteligência Interpessoal

Você já parou para se perguntar como Mahatma Gandhi, Nelson Mandela e Platão conseguiram mudar o curso da história da humanidade com suas ideias? Provavelmente você deve ter dito: inspirando as pessoas ao seu redor. E está certo. Além da sua inteligência notável, a capacidade de influenciar e liderar pessoas tornou essas figuras tão especiais.  

Essa habilidade de motivar e inspirar está ligada à inteligência intrapessoal. Suas principais características são a eloquência, a altivez e o carisma, por isso pessoas que a possuem são líderes natos e admirados. Nas empresas, eles não precisam de muito esforço para se destacar, motivar liderados, transformar ideias em ações e conquistar resultados.

3.9. Inteligência Intrapessoal

Uma das inteligências mais buscadas pelas empresas é a interpessoal. Sua principal característica é a praticidade. Quem a tem não se abate em situações de crise, consegue “ler” bem as pessoas e sabe lidar com problemas como nenhum outro perfil dessa lista consegue.

Sua capacidade de encontrar oportunidades diante de crises é única, por isso são tão raros. Estima-se que apenas cerca de 2% da população tenha esse perfil.

Seu potencial de liderança também é notável, mas diferente dos líderes interpessoais, os intrapessoais são mais reservados e costumam comandar pessoas de uma maneira indireta, por meio de ideias e estratégias e não tanto de relacionamento.

Seu principal diferencial está na capacidade de usar a calma e o autoconhecimento para agir, sempre com uma astúcia e confiança, motivando a todos que estão ao seu redor.

4. Saiba como descobrir o seu tipo de inteligência

Depois de conhecer os 9 tipos de inteligência, você conseguiu se identificar facilmente com alguma delas? Não? Calma, reconhecer suas características e a sua forma de atuação, especialmente no mundo profissional, não é fácil.

Muitos testes estão disponíveis, inclusive online, para determinar os tipos de inteligência presente em uma pessoa. Mas os seus resultados nem sempre são claros, afinal, não existe ninguém que exerça todas ou uma única inteligência perfeitamente.

Geralmente, desenvolvemos características de cerca de uma ou duas citadas na lista de Gardner, mas podemos incorporar habilidades de outros tipos quando mudamos o nosso convívio social, criamos novas experiências de vida ou nos capacitamos, com uma pós-graduação ou especialização em gestão, por exemplo.

Para determinar com clareza qual o seu tipo avalie quais características listadas em cada um dos tipos de inteligência você possui e avalie quais são predominantes. Você também pode se submeter a testes indicados por profissionais, como psicólogos, que trazem perguntas, como:

  • de que maneira você lida com os seus problemas?
  • como você prefere passar o seu tempo?
  • como as pessoas descrevem a sua personalidade?
  • qual o sentido mais forte em você: o tato, o olfato, a visão, a audição ou o paladar?
  • como você passava a maior parte da sua infância?
  • qual era a sua matéria favorita na escola?
  • você se considera mais extrovertido ou mais introvertido?
  • o que é mais importante na vida para você?

Os resultados desses testes trazem o tipo de inteligência predominante em cada indivíduo e quais características das outras também formam a sua personalidade.

É importante lembrar apenas que uma determinada inteligência não precisa definir a sua carreira. Por exemplo: uma pessoa com inteligência motora nem sempre será um dançarino nato, assim como um naturalista não precisa fazer uma graduação em botânica.

Já quem apresenta perfil musical não precisa ser um cantor, bem como um lógico-matemático não será necessariamente um engenheiro. É possível levar essas características para outras áreas! Um médico, por exemplo, precisa ter inteligência motora e lógica para fazer um bom trabalho.

Entender quais tipos de inteligência você tem é uma maneira de moldar a sua atuação profissional e utilizar as suas habilidades da maneira certa. Qualquer que seja o seu perfil tente ser alguém mais completo, trabalhando seus pontos fracos, mas, principalmente, explorando seus pontos fortes.

Se você é um líder intrapessoal, não é necessário criar um personagem extrovertido, que gosta de criar discursos ou comandar palestras — características notórias na liderança interpessoal. Em vez disso, use a sua habilidade de criar estratégias, reconhecer as habilidades das pessoas e identificar os seus desejos para liderar com mais sucesso e extrair o melhor da sua equipe.

Como você deve ter percebido, definir o que realmente é inteligência é algo mais difícil do que se imagina. Nossa mente é complexa e influenciada por diversos fatores, experiências e pela genética, e por isso é impossível mensurar se alguém é inteligente ou não apenas pelo que acreditamos. É importante mesmo entender qual dos tipos de inteligência tem mais a ver com você e como pode aproveitar as oportunidades que ela te trouxe. 

Quando se trata da carreira, essa descoberta se torna ainda mais importante pata tomar boas decisões, encontrar as melhores oportunidades e se tornar um profissional (e uma pessoa) melhor.

Além disso, é preciso também ter inteligência emocional para lidar com as situações do dia a dia, baseando-se sempre no autoconhecimento. Quando você conhece a si mesmo e sabe quais são as suas limitações, para de tentar ser o que não é e se concentra em usar aquilo que tem de bom.

Quando essas habilidades se unem ao conhecimento teórico e técnico, você se torna um profissional imbatível e disputado no mercado. E ter esse poder é algo maravilhoso, não é mesmo?

E então, ficou mais fácil descobrir qual o seu tipo de inteligência? Identificou qual dos 9 tipos é mais predominante em você? Para impulsionar ainda mais a sua carreira, não deixe de conferir o nosso e-book com um passo a passo completo para criar um plano de carreira e usar as suas habilidades da melhor maneira na sua profissão!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"