Cultura corporativa: o que você precisa saber sobre isso

A coletividade sempre foi marcada por um conjunto de tradições, crenças e costumes que direcionam o comportamento de determinados grupos sociais. A isso se dá o nome de cultura: produzida pela interação social, ela funciona como uma espécie de fio condutor, direcionando a vida em sociedade.

Da mesma forma, toda organização, seja ela de qual tamanho for, funciona com base em valores que têm como objetivo promover seu desenvolvimento, bem como orientar formas de se ter um bom convívio entre os colaboradores.

A chamada cultura corporativa também orienta, ainda que implicitamente, o que se espera de um profissional dentro de uma empresa, assim como o trabalho que deve ser executado, além da maneira como se deve fazê-lo.

Neste post, você vai entender tudo sobre cultura corporativa: o que é, qual a sua importância, como implementá-la, entre outras informações. Continue lendo para descobrir como ela pode contribuir para uma gestão de qualidade.

O que é cultura corporativa?

Considere a seguinte situação: você chega a um país no qual nunca esteve. Assim que começa a andar na rua, repara a forma como as pessoas se comportam, as vestimentas que usam, os hábitos que têm e a maneira como se comunicam. Imediatamente, você tenta se adequar, seja falando a língua ou se alimentando da comida local.

O mesmo acontece quando se começa a trabalhar em uma empresa. Nos primeiros momentos, o que se faz é observar o dia a dia do trabalho, a maneira como as pessoas se vestem e se comunicam. Tem-se, assim, um panorama sobre os ambientes social e o psicológico locais, sendo possível reconhecer como o indivíduo deve se comportar.

Esse exemplo mostra claramente o conceito de cultura corporativa. Como dito, ela se refere a um conjunto de valores, normas, regras e expectativas que regem o cotidiano em uma empresa. Dessa forma, ainda que não seja escrita ou explícita, ela deve se fazer presente e ser praticada em todas as ações e em todos os setores e escalões — desde o CEO até o estagiário.

Por meio dela, dissemina-se o comportamento que se espera de um colaborador da instituição, devendo esse ser condizente com essa expectativa. É perceptível, dessa maneira, uma mentalidade considerada hegemônica e que, ainda que não seja escrita ou explícita, conduz o dia a dia na organização.

Qual é a sua importância para a empresa e seus colaboradores?

Voltando ao exemplo de quando chegamos a um país desconhecido, imagine que você se negue a falar a língua e a se adequar aos costumes locais. Obviamente, terá dificuldades em se relacionar, se locomover, se alimentar e, principalmente, se comunicar.

Isso também acontece em uma instituição: entrar nela significa ter a necessidade de se adaptar para que possa obter bons resultados no convívio com os demais e, sobretudo, no trabalho. Colaboradores que agem de formas distintas e até mesmo opostas tornam difícil (ou impossível) o alcance de um objetivo comum.

A coesão de pensamentos, estratégias, valores e expectativas torna-se, então, fundamental para que as ações se deem sempre no mesmo sentido. “Falar a mesma língua”, nesse contexto, diz, então, sobre observar o que os superiores e a empresa como um todo esperam de seus colaboradores e tentar colocar isso em prática.

Dessa forma, a importância da cultura organizacional está no fato de que ela é um elo para a manutenção e, ainda, para o desenvolvimento e sucesso empresariais, devendo estar presente em toda ação estratégica da corporação. Quando uma cultura inadequada é disseminada, os reflexos podem ser logo percebidos no descompasso de ações que geram maus resultados ou até mesmo regressão no desenvolvimento organizacional.

Ainda, ressalta-se aqui a importância de vislumbrar esse fator desde o momento da contratação. É recomendável admitir profissionais que demonstrem carregar consigo valores semelhantes aos da instituição na qual pretendem ingressar, sendo essa uma maneira de facilitar a inserção desses colaboradores no sentido de que não serão necessários grandes esforços para que atuem de maneira estratégica e condizente à cultura corporativa.

A “não cultura”

Porém, engana-se quem pensa que, somada à competência e à formação, a cultura corporativa deve ser indispensavelmente apresentada durante o processo seletivo.

Isso porque, diferentemente do que muitas pessoas pensam, ainda que um candidato não apresente imediatamente esses valores, é possível, sim, que, quando contratado, com o tempo, possa aprender, internalizar e praticar a cultura organizacional. Para isso, é necessário observar o potencial de aprendizagem do profissional, de maneira a vislumbrar o exercício dela futuramente.

Alguns exemplos dos valores mais observados pelas organizações são: proatividade, capacidade de trabalhar em equipe e autocontrole. Quando devidamente incentivados e praticados, são capazes de promover o engajamento. Funcionários alinhados à cultura se mostram mais motivados e satisfeitos com o trabalho que executam e com o ambiente em que se inserem institucionalmente.

Por outro lado, a existência de colaboradores com maus comportamentos e que, devido a eles, são demitidos, também é um importante definidor da cultura corporativa. Isso porque, por mais que não possa não ser muito evidente a prática dos valores aceitáveis, a dos inaceitáveis é ainda mais clara a partir do momento em que há uma discrepância e repreensão por isso.

Como consequência, tem-se a melhoria de indicadores importantes para o sucesso da empresa. Ainda que comumente voltados para o setor de Recursos Humanos (RH), é fundamental que sejam compreendidos e avaliados pelos executivos da administração da organização, de maneira a acompanhar o desenvolvimento dela. Confira alguns deles abaixo.

Turnover (ou índice de rotatividade)

Trata-se da diferença entre a quantidade de rescisões e de contratações da empresa em determinado intervalo de tempo. Além de indicar o nível de atratividade da empresa para possíveis colaboradores e a efetividade das contratações, a taxa de turnover pode dizer sobre o nível de engajamento das pessoas que trabalham na organização.

Com isso, pode-se, ainda, avaliar a eficácia da transmissão da cultura corporativa, bem como a maneira como ela tem sido apreendida. A partir disso, é possível planejar novas ações ou reformular algum fator da cultura.

Pesquisa de clima organizacional

A pesquisa de clima organizacional também é importante para medir a eficiência da cultura corporativa. Por meio de pesquisas, é possível compreender como se dá a percepção geral dos colaboradores em relação à empresa.

É possível, ainda, observar como se dá a relação entre eles, com os gestores, a infraestrutura como um todo etc. Observando-se o clima da empresa, tem-se uma noção do nível de satisfação e adequação à cultura organizacional.

Índice de retenção de talentos

Ainda falando sobre o engajamento que a cultura corporativa é capaz de promover, o índice de retenção de talentos investiga a eficiência das estratégias voltadas para possíveis candidatos às vagas da empresa.

Por meio dele, é possível se ter o número de colaboradores que permanecem no banco de talentos ao longo do tempo, podendo-se identificar se a cultura corporativa pode ser verificada, compreendida e admirada externamente à empresa.

Como criar e implementar uma cultura corporativa?

Uma boa cultura corporativa, como dito, deve refletir os valores que a empresa deseja promover e pelos quais, de alguma maneira, deseja ser reconhecida. Deve-se ter em mente, porém, que ela não é criada de uma hora para outra. Trata-se de um processo histórico e passível de interferências.

Para criá-la e implementá-la, é essencial seguir diretrizes de maneira que seu desenvolvimento e sucesso sejam alcançados. Conheça, abaixo, alguns passos que tornam mais eficazes a criação e a implementação da cultura organizacional.

Presença dos fundadores

Convencionalmente, a criação e a implementação da cultura corporativa têm início a partir das ideias dos fundadores da organização. Foram eles que pensaram no porquê da existência daquela instituição, assim, não há ninguém melhor para direcionar os valores que se espera promover.

Por isso, a presença constante dessas pessoas pode ser crucial para a apresentação das normas, regras, expectativas e comportamentos desejáveis em uma empresa. Por meio de palestras, eventos e treinamentos, os fundadores e sócios da organização são capazes de estabelecer uma comunicação mais direta com os colaboradores, evidenciando o que esperam deles e a forma como acreditam que o sucesso possa ser alcançado.

Objetivos claros e tangíveis

O primeiro e mais importante passo é definir objetivos que sejam claros e passíveis de serem alcançados ou, pelo menos, buscados. Isso porque exercer uma atividade ou trabalhar sem um objetivo podem ser motivos de desengajamento e, possivelmente, de fracasso.

Por isso, mais do que definir aonde se quer chegar, é preciso esclarecer as estratégias comumente utilizadas na empresa para atingir os resultados desejados. Uma boa maneira para se alcançar isso pode ser o estabelecimento de metas e a disseminação de pilares comportamentais pretendidos. Todos eles devem também estar alinhados à cultura corporativa, de maneira que evidenciem os comportamentos aceitáveis e requeridos.

É preciso ter em mente que essas metas e esses objetivos não devem nunca ser impossíveis de ser atingidos, uma vez que isso poderia gerar frustração e desengajamento.

Diversidade

Uma boa cultura corporativa deve, também, ter como foco a diversidade. Dessa maneira, não basta entender o corpo de funcionários como algo homogêneo. É fundamental perceber a multiculturalidade dos colaboradores, a fim de adequar a rotina a cada um deles. Os valores, as crenças e os costumes devem ser respeitados, o que, por outro lado, não impede a adoção e a prática de valores da cultura corporativa por cada indivíduo, em sua particularidade.

É, então, a partir da identificação desses indivíduos com os valores incentivados, que a cultura corporativa é internalizada ao modo de cada um. Ao mesmo tempo, essa internalização deve sempre ser concernente ao que é esperado dos colaboradores pela empresa.

A cultura organizacional que tem a diversidade como um dos fatores a serem considerados oferece, por exemplo, abertura para a discussão de temas relevantes a cada grupo social que a compõe e respeita cada um deles.

É fundamental, ainda, considerar os diferentes setores existentes na organização, uma vez que a cultura pode transparecer ou necessitar de um “reforço” em diferentes níveis a depender disso.

Como fortalecer essa cultura?

Existem várias formas de fortalecer a cultura corporativa, e elas podem se dar até mesmo de maneira natural quando a compreensão acerca dela de fato acontece. Esse fortalecimento requer a atuação de vários atores e pode ser considerado efetivo quando os valores são percebidos até mesmo sem que os superiores estejam presentes.

Mas, para chegar lá, é preciso dar alguns passos em direção ao sucesso. Compreenda abaixo como.

Liderança

O papel dos líderes, ainda que em organizações horizontais, se faz fundamental no fortalecimento da cultura corporativa. Uma empresa que prega a colaboratividade como um dos pilares de sua cultura deve, por exemplo, contar com líderes que busquem auxiliar no crescimento dos colaboradores. Percebida uma dificuldade, é fundamental que o gestor se mostre sempre aberto a esclarecer dúvidas acerca do cotidiano do trabalho.

Essas pessoas são capazes de compreender e orientar não só o trabalho, como também o comportamento de seus liderados. Por meio de feedbacks construtivos, podem até mesmo estimular mudança de comportamentos inadequados ou ajudar no estabelecimento de planos de ação para maior produtividade. Ainda, são os principais responsáveis pela identificação da não adequação definitiva aos valores requisitados.

Formas de aprimorar a liderança

Ainda que algumas pessoas apresentem, naturalmente, características requeridas em um líder, é possível aprimorar esse papel. Isso porque é preciso conhecimento específico de gestão para que ele seja exercido da melhor maneira possível. Para isso, mais do que um curso de graduação, é importante contar com especializações especificamente voltadas para essa função.

E são diversas as áreas de abrangência possíveis: elas podem perpassar temas como Relações Trabalhistas, Negócios Imobiliários e Negócios e Inovação. Basta escolher um deles em uma instituição de ensino conceituada para compreender mais sobre como deve se dar a gestão corporativa. São cursos altamente valorizados no mercado e que dão uma visão ampla de qual deve ser o papel do líder.

Colaboratividade

Estabelecidos os objetivos e estratégias e implementado o apoio do líder, outro importante agente para o fortalecimento da cultura corporativa são os próprios colaboradores. Inseridos no dia a dia da empresa e conscientes dos valores prezados pela cultura organizacional, eles podem, por exemplo, orientar novos contratados acerca do que é esperado deles.

Assim como no caso da liderança, isso pode ser feito por meio de feedback (sempre no sentido de favorecer o desenvolvimento do profissional). Essa prática deve ser constantemente incentivada pelos gestores e diretores da empresa, uma vez que possibilita o progresso contínuo e colaborativo dos membros da companhia.

Competição entre colaboradores

Em alguns casos, atritos são gerados devido a uma competição entre os colaboradores. É imprescindível ficar atento a isso e cuidar para que a cultura corporativa não promova a competição entre seus membros.

Atitudes provenientes de competição muitas vezes minam a estratégia para o sucesso. Nesses casos, é comum que o gasto de energia dos profissionais esteja voltado para se mostrar sempre melhor do que o próximo, em vez de executar um trabalho realmente eficiente. É preciso que os colaboradores compreendam que trabalhar em conjunto tende a gerar muito mais resultados do que fazê-lo de forma competitiva.

Canais de comunicação

O sucesso e a força de uma boa cultura corporativa estão intimamente ligados ao estabelecimento de bons canais de comunicação. Essa prática pode ser considerada a principal responsável por garantir a efetiva disseminação desses valores. Isso pode ser feito por diversos meios. Confira, abaixo, alguns deles.

Jornais internos

Os jornais internos organizacionais são fundamentais para manter todo o público interno ciente do andamento da empresa e engajado com o trabalho. Eles são capazes de melhorar o relacionamento entre a companhia e seus colaboradores, além de serem ótimos veículos de transmissão da cultura corporativa.

Têm-se, ainda, benefícios como o fortalecimento da marca, valorização dos trabalhadores da organização, prevenção de boatos e exercício do papel social da empresa.

Boletins e quadros informativos

Normalmente pregados em murais nas paredes da organização, os boletins e quadros informativos deixam os colaboradores informados sobre novidades na empresa. Além disso, por estarem em um ambiente de circulação dos colaboradores, podem ser importantes meios de reafirmação da cultura corporativa.

Assim, é possível utilizá-los como:

  • lembretes de boas práticas no dia a dia;

  • avisos sobre comportamentos inadequados em determinado local (como fumar em ambiente fechado ou conversar em áreas de reuniões);

  • notas sobre datas importantes para a empresa;

  • informativos sobre horário e/ou datas de funcionamento de determinados setores;

  • instruções sobre o uso de equipamentos etc.

Caixa de sugestões

Uma cultura corporativa que pregue a importância do feedback deve ser implementada também para recebê-lo no sentido de melhorar processos da própria organização. Dessa forma, uma caixa de sugestões, seja física ou virtual, é importante a partir do momento em que permite aos colaboradores atuar ativamente no desenvolvimento da empresa.

Por meio dela, eles podem externalizar suas opiniões, discorrendo acerca da dinâmica do trabalho, assim como promover melhorias em determinadas estratégias. É essencial, para isso, a promoção de valores que deem abertura para que se sintam à vontade em oferecer essas sugestões.

Canais de mensagens instantâneas

Rápidos e eficazes, os canais de mensagens instantâneas são ferramentas interessantes para o fortalecimento da cultura corporativa. O uso dessa tecnologia está cada vez mais em evidência, existindo até mesmo aplicativos específicos para fins empresariais. Como seu próprio nome diz, eles são capazes de estabelecer uma comunicação rápida e eficiente.

Esses canais podem ser usados para o próprio dia a dia do trabalho em uma organização. Eles podem evitar, por exemplo, ligações telefônicas ou deslocamentos de pessoas entre setores para assuntos que podem ser resolvidos por meio desse tipo de aplicativo. Isso melhora a produtividade e estimula até mesmo a interação entre os colaboradores e entre eles e seus líderes.

A cultura corporativa pode mudar?

É fato que a cultura corporativa deve ser instaurada em uma empresa de forma a normatizar certos valores e comportamentos aceitáveis, conforme visto acima. No entanto, é errôneo considerar que essa cultura é imutável.

Por se tratar de um processo histórico, a cultura organizacional está, sim, passível de modificações. Isso porque as empresas não se fazem isoladas. Elas estão inseridas em uma sociedade que também carrega consigo costumes e valores próprios. Em meio a alterações que a rodeiam, torna-se, então, impossível se manter estática.

Retomemos o caso do viajante em um país estrangeiro. Caso ele decida retornar ao mesmo país 30 anos depois, por exemplo, é certo que o que encontrará se assemelhará ao que viu na primeira vez. Mas, possivelmente, serão apenas semelhanças, pois será possível observar diferenças consideráveis, como o grau de influência das tecnologias no cotidiano da sociedade, os comportamentos das gerações mais novas, entre outras.

O mesmo acontece em uma empresa. Com o passar do tempo, com a chegada de novos equipamentos e novas gerações, os valores se modificam, se adequando a cada época. É dessa maneira que modelos tradicionais, como os hierárquicos e burocráticos de alguns anos atrás, aos poucos, têm dado espaço para a horizontalidade e facilidade de andamento de processos internos contemporâneos.

Inovação

Por tudo isso, a inovação empresarial deve fazer parte do cotidiano da companhia. Caso seja ignorada, pode haver consequências, como resultados abaixo do esperado, assim como a não inserção em mercados de interesse.

É fundamental que os dirigentes de uma organização implementem na cultura a importância de estar aberto a novas ideias. Assim, as melhorias tendem a sempre acontecer, seja em algum processo interno, produto ou serviço do ramo no qual a empresa atua.

Como você pode perceber, entender a importância da cultura corporativa, relembrá-la e implementá-la é fundamental para o bom andamento de uma empresa. Por meio dela, é possível contar com colaboradores e gestores alinhados às expectativas e aos valores, além de cada vez mais voltados para o sucesso. Para isso, é essencial que os ambientes social e psicológico sejam alinhados em todos os setores.

Lembre-se: não se deve ter receio de cobrar determinadas atitudes ou comportamentos. Isso porque uma organização que não preza pelo fortalecimento ou até mesmo pela modernização de sua cultura tem grandes chances de ter seu desenvolvimento estagnado.

E você, tem se desenvolvido profissionalmente? O que falta para dar um grande passo? Agora que já sabe tudo sobre cultura corporativa, descubra como criar um plano de carreira pode ajudar você a alcançar o sucesso com planejamento e desenvolvimento profissional. Baixe nosso e-book!

 

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"