É possível mudar de área sem fazer outra faculdade? Saiba como!

A decisão de mudar de área e seguir uma nova carreira costuma estar atrelada à uma série de dúvidas e inseguranças. De fato, é um momento delicado na vida de qualquer profissional, uma vez que esse tipo de transição exige uma preparação especial.

Vários fatores precisam ser ponderados, principalmente, a satisfação pessoal, o mercado de trabalho e o planejamento financeiro. Por isso, é fundamental estudar as oportunidades e os riscos que cercam essa escolha.

No entanto, também é importante avaliar as razões que levam o indivíduo a optar pela migração. A escassez de vagas em um determinado setor, o desejo de desenvolver um outro talento e a vontade de empreender estão no topo da lista.

Vale lembrar que, ao contrário do que muitos pensam, nem sempre é necessário investir em uma nova faculdade. Qualificação e know-how são essenciais, mas podem ser conseguidos de diversas maneiras. Além disso, é importante coletar informações, fazer uma autoanálise e claro, aprimorar algumas competências essenciais.

Como mudar de área

Para que o processo de mudança seja leve e livre de arrependimentos, é importante tomar alguns cuidados básicos e atentar para recomendações simples.

Aposte no autoconhecimento

O autoconhecimento é indispensável durante essa fase. É preciso identificar vocações e preferências. Nesse contexto, estão também as principais características do profissional, suas habilidades, motivações e propósitos.

Com essa avaliação, é possível definir um perfil e assim, determinar quais os segmentos de atuação mais indicados. Afinal, funções diferentes exigem aptidões diferentes ― como flexibilidade, poder de adaptação, pensamento criativo, comunicação, inteligência emocional, liderança e orientação para resultados, por exemplo.

O coaching pode ser bastante útil nesse estágio da preparação, pois incentiva as descobertas, os questionamentos e tira o indivíduo da sua zona de conforto. Desse modo, é mais fácil fazer uma análise criteriosa e realista da situação.

Evite movimentos impulsivos

A pressa e o impulso não ajudam. Por isso, é necessário evitar decisões baseadas em modismos, em dificuldades momentâneas ou em um salário mais atraente.

Mudar de área pode ser uma opção ou imposição — provocada pelo surgimento de novas tecnologias, pela automação, pela extinção de algumas atividades ou pelo enxugamento do quadro de colaboradores. Por isso, é fundamental abandonar as ilusões e o imediatismo e, dedicar tempo e esforço, na consolidação de uma nova carreira.  

Pesquise o mercado

Outro ponto importante é a pesquisa do mercado. Ou seja, para mudar de área, o profissional deve perceber as particularidades de cada ramo, enxergar as tendências para os próximos anos e entender os fatores externos que influenciam diretamente o setor.

Uma dica é analisar os sites de emprego e as redes sociais dedicadas, como o LinkedIn, e verificar a quantidade de vagas oferecidas, a localização das empresas que estão contratando e, claro, a concorrência.

Essa pesquisa também deve ser feita pelos futuros empreendedores, juntamente com outras análises, para sustentar a criação de um plano de negócios verdadeiramente sólido.

Converse com alguém que já tenha passado por essa experiência

Também é aconselhável conversar com profissionais que já tenham passado por uma transição. Desse modo, é possível compreender os obstáculos e desafios encontrados no dia a dia.

Vale lembrar que essas lições são sempre valiosas, pois ajudam o indivíduo a identificar falhas no seu planejamento inicial.

Faça um curso de extensão

Depois de definir a nova área, é hora de partir para a capacitação. Um curso de extensão é uma excelente alternativa para o profissional conquistar o conhecimento necessário em um curto espaço de tempo.

Atualmente, já existem diversas propostas de educação continuada, com conteúdo programático e carga horária capazes de atender às mais variadas demandas.

Ative o networking

Para mudar de área, também é preciso ativar o networking e construir novos relacionamentos e conexões. Uma rede influente garante mais visibilidade, gera indicações e aumenta a empregabilidade.

Entretanto, o networking efetivo depende de interações de médio e longo prazos, com troca de informações e ajuda mútua. Por isso, contatos pontuais, em geral, não são bem-vistos.

Participar de eventos, feiras e congressos é mais uma maneira de expandir o networking e, paralelamente, servem para manter o profissional atualizado sobre as novidades do segmento escolhido.

A redes sociais também devem ser utilizadas e novamente, o LinkedIn merece atenção especial. No entanto, para uma apresentação adequada, o ideal é aplicar os conceitos de personal branding, com o gerenciamento da marca pessoal.

Tenha uma reserva financeira

Ao mudar de área, o profissional tem a senioridade rebaixada e passa a ser classificado como júnior. Então, é de se esperar que o cargo seja de menor complexidade e a remuneração, inferior a atual.

Por isso, é preciso contar com uma reserva financeira para garantir uma certa estabilidade no início dessa jornada. Essa mesma reserva serve para quem quer abrir o próprio negócio e necessita de capital para evitar o endividamento.

Prepare um plano de carreira

Um plano de carreira pode ser encarado como um grande projeto, que tem a finalidade de estabelecer ações, metas e objetivos a serem atingidos. Porém, para que esse plano funcione corretamente, é fundamental observar alguns fatores críticos ― como ambições, aptidões e deficiências, além das flutuações do mercado e o cenário econômico.

Por isso, além dos cursos de extensão, o profissional também pode apostar em outras formas de adquirir alguma expertise. Muitos fazem da nova carreira, uma atividade extra, até conseguirem alcançar a independência.

O domínio de outros idiomas já é um pré-requisito para alguns setores de atuação. Neste contexto, o inglês é a língua mais comum dentro de muitas empresas, porém, nas multinacionais, a fluência em alemão, italiano, francês ou espanhol pode ser uma enorme vantagem competitiva. Logo, essas aulas devem fazer parte do planejamento, uma vez que, cada vez mais, surgem oportunidade de trabalho no exterior.

Outros aspectos também devem ser observados, como idade, escolaridade, dívidas, compromissos e previsão para a aposentadoria. Todas essas variáveis têm algum impacto na transição e, por isso, não podem ser negligenciadas.

Mudar de área pode ser a solução definitiva para os profissionais que buscam mais qualidade de vida, satisfação, novas perspectivas e melhores salários. Para tanto, é preciso determinação e coragem, além de qualificação e preparação que garantam uma carreira de sucesso.

Quer saber mais sobre como se qualificar para o mercado? Então, entre em contato com a Fundação Dom Cabral e conheça nossos cursos.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"