Gestão de pessoas: uma atuação que vai além do RH

Dentre os diversos fatores que podem determinar o sucesso ou o fracasso de uma empresa está a qualidade e o engajamento de seus recursos humanos. Afinal, é por meio deles que a empresa obtém resultados — positivos ou negativos. Mas que ações definem o caminho do negócio? Como garantir o empenho dos colaboradores para o sucesso e a produtividade da organização? Acredite você ou não, a solução está na gestão eficiente de pessoas. Quer saber de quem é esse papel? Então acompanhe nosso post de hoje!

A importância da gestão de pessoas

Para obter produtividade e excelência dos colaboradores, é necessário observar 2 aspectos importantes: qualidade e engajamento. Vamos analisá-los mais atentamente?

Qualidade

A qualidade é determinada por características pessoais aliadas ao conhecimento que o profissional adquiriu ao longo de sua formação acadêmica e experiência corporativa. Consiste, portanto, na somatória de talento, habilidade e perfil pessoal com o resultado de seus aprendizados. Mas então o que é um colaborador de qualidade? A verdade é que não há uma única resposta para essa pergunta.

Enquanto determinadas funções exigem perfis e habilidades específicas, a execução de outras tarefas pode exigir características completamente diferentes. Portanto, enquanto um indivíduo é plenamente competente para ocupar um certo cargo, seu perfil pode ser totalmente inadequado para o exercício de outra função. Um bom processo de recrutamento tem como missão justamente o encaixe dessas peças, garantindo a compatibilidade perfeita entre perfil profissional e descrição do cargo.

Então a contratação do colaborador ideal é uma responsabilidade do RH, certo? Na realidade, essa é uma visão equivocada. O setor possui sim ferramentas para fazer a identificação do perfil profissional do candidato, mas a combinação perfeita depende da elaboração de uma descrição de cargos precisa e eficiente.

A interação com o gestor de determinado setor, as informações a respeito das tarefas que o contratado deverá desempenhar e as características necessárias para executá-las: é esse o trio essencial para a identificação de um perfil adequado. Sem a colaboração entre gestão e RH, o processo de recrutamento fica totalmente comprometido, gerando baixa produtividade e um alto índice de turnover.

Por tudo isso e muito mais, é possível perceber desde o princípio que a responsabilidade sobre a adequação do contratado recai não apenas sobre o RH, mas sobre a liderança da organização como um todo.

Engajamento

A responsabilidade em relação à administração dos recursos humanos é compartilhada durante o processo de recrutamento e seleção. A partir da contratação, porém, ela se torna uma atribuição fundamental para os gestores. Assim que um candidato é contratado pela empresa, passando a fazer parte de seu quadro efetivo, as habilidades e competências detectadas durante a seleção precisam se transformar em produtividade. Como obter esse resultado? Simples: com uma gestão de pessoas realmente eficiente.

Obter o melhor desempenho de um colaborador exige mais que a mera atribuição de tarefas. Um funcionário competente produz o necessário para o andamento do setor. Por outro lado, um colaborador engajado alcança resultados extraordinários. Para chegar a esse nível de excelência, entra em cena a capacidade de atrair, reter e motivar os colaboradores, o que demanda uma avaliação de desempenho objetiva, acompanhada por um feedback que promova desejo e condições de desenvolvimento.

Gerenciar uma equipe também significa reconhecer o empenho dos colaboradores das mais diversas formas. Pode ser com uma boa remuneração ou com outras formas igualmente significativas de validação, que podem variar de acordo com a personalidade, a geração ou até mesmo o contexto em que o colaborador está inserido.

Entender as necessidades e características individuais dos profissionais é a chave para identificar os melhores métodos para se comunicar com a equipe, delegar tarefas aos mais aptos a executá-las, trabalhar pontos fracos, promover oportunidades de desenvolvimento e, com tudo isso, garantir um desempenho de alto nível.

A importância da qualificação para gerir pessoas

Neste momento, você talvez esteja pensando que não foi qualificado para isso. Muito provavelmente, você está correto. Embora os líderes dependam de impulsionar pessoas para obter sucesso, a maior parte dos cursos de graduação simplesmente não os prepara para isso.

Enquanto futuros administradores estudam exaustivamente princípios da gestão financeira, técnicas e estratégias de venda, estruturação do marketing e métodos de produção, a administração do principal ativo de qualquer organização fica em segundo plano durante a formação: as pessoas.

Diante desse quadro, o que o líder deve fazer? Entendendo que os colaboradores formam a maior riqueza da organização e que a obtenção do desempenho máximo de cada um traça o caminho para o sucesso, o primeiro passo consiste em reconhecer essa lacuna de conhecimento. A seguir, vem o entendimento de que, para conquistar o pleno desenvolvimento desse potencial, é necessário investir tempo e recursos na busca por conhecimento e ferramentas eficazes de gestão de pessoas.

Atualmente, o mercado oferece diversas opções de formação continuada para o desenvolvimento dessas competências. Cursos de pós-graduação e MBA têm dado muita atenção a essa crescente necessidade do mundo corporativo, elaborando programas voltados ao atendimento dessa demanda.

Outro ponto fundamental é que, ao buscar uma formação continuada, o gestor reconhece suas limitações e evidencia seu desejo de aprender e desenvolver competências. Dessa forma, serve de exemplo a todo colaborador que busca a excelência e quer evoluir na carreira. Com essa atitude, além de dominar as ferramentas necessárias para a gestão, o líder revela coerência entre seu discurso (de que todos devem se desenvolver e se aperfeiçoar para obter melhores resultados) e suas ações.

Viu como a mobilização dos colaboradores para a obtenção da excelência e o aumento dos níveis de produtividade não depende de um único departamento ou setor da empresa? Na verdade, a gestão de pessoas é uma responsabilidade compartilhada pelas lideranças para alcançar o desenvolvimento contínuo e os resultados desejados. Se obter o desempenho máximo de cada colaborador é fundamental, buscar conhecimento e formação configura a atitude certa do líder disposto a alcançar o sucesso.

E você, o que tem feito para melhorar sua capacidade de gestão de pessoas? Ainda tem dúvidas sobre as vantagens de se preparar para obter o melhor resultado de seus colaboradores? Então não perca mais tempo! Entre em contato com a Fundação Dom Cabral e descubra como conduzir sua equipe a novos níveis de excelência!

 

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"