Qual a real importância da inovação empresarial e como investir nisso?

Inovação tornou-se senso comum, uma espécie de oásis ou Santo Graal do mundo corporativo. Toda empresa (e todo gestor) está em busca de algum insight que vai revolucionar o funcionamento do negócio e abrir portas para um novo nível de resultados. O problema é que, no meio desse frenesi, perdeu-se o entendimento do que realmente significa inovar, da real importância da inovação empresarial. 

Pensando nisso, preparamos esse artigo, que vai retomar o básico e tentar responder a uma questão: por que a inovação é tão importante para as empresas? Além disso, você também vai descobrir como investir nela. 

1. O que é inovação

Inovação parece um termo abstrato, mas sua definição é clara. Trata-se de um processo de implementação de novas ideias, visando gerar valor para uma organização. Ela pode envolver a criação de um novo serviço, produto, sistema ou processo, mas também pode resumir-se à melhoria de um que já existe. 

Ao contrário do que muitos pensam, a inovação (principalmente a inovação empresarial) não se limita a um momento de genialidade solitária. Não é uma ideia revolucionária que aparece quando você está sozinho na sua sala. Em vez disso, para inovar, é preciso:

  • um processo consistente de formulação de novas propostas;
  • contato direto com aquilo em que se pretende inovar.

2. Importância da inovação empresarial

Inovar, no mundo das empresas, é uma questão de sobrevivência. É ela que permite que um negócio continue a existir e trazer resultados em longo prazo.

A inovação oferece às empresas uma vantagem para penetrar mais rapidamente em mercados existentes, conectar-se com mercados em desenvolvimento ou, ainda, criar seus próprios mercados. Se uma empresa não inova, está colocando-se em uma posição vulnerável a qualquer problema que possa acontecer no mercado em que atua.

Uma forma simples de entender o que estamos tentando explicar é o famoso case do mercado de fotografias.

Até o final dos anos 1990, a Kodak era líder de mercado no segmento de máquinas fotográficas. Ela chegou a desenvolver o primeiro protótipo de uma máquina digital, mas não investiu nessa inovação. O que aconteceu foi que ela perdeu a oportunidade de criar esse novo mercado.

Logo em seguida, outras empresas (como Canon e Nikon) correram atrás dessa nova ideia e o mercado recém-inaugurado das máquinas digitais absorveu completamente o das máquinas analógicas, com filmes e revelação. Nesse processo, a Kodak sumiu do mapa corporativo por muitos anos.

Observe como, ao perder a chance de investir em uma inovação, a Kodak se colocou em posição de risco, pois continuava a depender de um único segmento de mercado. Na hora em que esse segmento desmoronou, ela acompanhou. Portanto, quando uma empresa inova, ela está assegurando oportunidades para sua sobrevivência no futuro.

3. Outros benefícios da inovação

Agora, você já sabe qual é o verdadeiro motivo para buscar a inovação empresarial. Entretanto, é claro que também existem benefícios de curto e médio prazo muito significativos.

Uma inovação pode melhorar o desempenho financeiro da sua empresa, por meio de aumento na receita ou redução nos custos. Se a sua ideia fizer os clientes comprarem mais quantidade ou pagarem mais caro, a receita aumenta. Se permitir que a empresa desenvolva seu produto a partir de matérias primas ou processos mais baratos, o custo cai. De qualquer maneira, haverá um impacto positivo na margem de lucro.

Com a inovação, também é possível conquistar uma diferenciação. Isso quer dizer que você vai “deixar seus concorrentes para trás”. Vale a pena lembrar que existem muitos fatores de diferenciação e que não é preciso inovar em produtos para conseguir esse resultado. Algumas empresas inovam em atendimento, assim, oferecem uma experiência melhor aos clientes e se posicionam em vantagem contra os principais concorrentes. 

Outro benefício da inovação empresarial pode estar na melhoria da produtividade. Já que a produtividade é o limite do crescimento de uma empresa, qualquer ideia que permita ampliar esse limite representa a oportunidade real de crescimento do negócio. É como se você tivesse uma fazenda rodeada por uma cerca e, cada vez que você aumenta a produtividade, essa cerca se afasta mais um metro. Ganha-se escalabilidade, ou seja, espaço para crescer, para fazer mais.

4. Como investir em inovação

Quando falamos em investir em inovação, o leitor deve ter cuidado para não achar que estamos falando simplesmente de investimento financeiro. Na verdade, ao contrário. O investimento financeiro é a última etapa. Para chegar a ele, antes, é preciso investir culturalmente.

A principal fonte da inovação empresarial são os colaboradores. São eles que estão diretamente em contato com as minúcias da operação cotidiana; são eles que lidam com os principais problemas e falhas; são eles que identificam oportunidades de melhoria. 

Para inovar, portanto, é preciso incentivar os colaboradores a desenvolver e apresentar mais ideias. Existem inúmeros métodos, mas nenhum funcionará se você não fomenta um estilo de gestão aberto. Gestores que demonstram uma necessidade de centralizar o trabalho e uma perspectiva narcisista não oferecem um grande estímulo a colaborações espontâneas.

Outro ponto importante é que os colaboradores devem ter a certeza de que suas inovações serão reconhecidas — e, ainda mais importante, de que esse reconhecimento não será tomado por outras pessoas. Afinal de contas, nada é tão frustrante quanto apresentar uma ideia, ver que ela está sendo utilizada em benefício da empresa e não receber o merecido crédito.

Agora, em relação ao investimento financeiro, também é necessário que haja flexibilidade. Porém, isso não basta. Também deve haver um método. 

Por um lado, é ruim que uma empresa não esteja aberta a investir nas novas ideias que aparecem, pois ela pode perder excelentes oportunidades. Por outro lado, também é ruim que essa empresa esteja aberta a investir em todas as novas ideias, porque nem todas vão trazer retorno que justifique esse investimento. 

O segredo, portanto, está em estabelecer um processo para filtrar as ideias e identificar quais inovações apresentam potencial para trazer maior impacto. Dessa maneira, é possível maximizar os retornos e reduzir o risco inerente a qualquer empreitada nova.

Neste artigo, você viu o que é inovação empresarial, porque ela é importante e como investir. E você aprendeu que não temos inovação apenas na criação de novos produtos, essa prática não está restrita ao setor de produção. É possível inovar em qualquer área de uma organização, até mesmo na gestão de pessoas.

Então, que tal buscar alguma inspiração para novas ideias ligadas à gestão de pessoas? Um bom ponto de partida é ler nosso artigo com as principais tendências nessa área!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"