Recolocação profissional: 7 segredos para ter sucesso

A recolocação profissional pode acontecer pelas mais diversas razões, indo desde o puro descontentamento com a empresa ou com o cargo atual, passando pelo desejo de iniciar uma nova carreira até chegar à perda do emprego. Independentemente do motivo, superar essa fase não costuma ser fácil, já que o profissional tende a se cercar de dúvidas e temores.

Mas o cenário não precisa ser tão nebuloso! É a hora de focar naquelas características e habilidades que podem reduzir o tempo de espera. Que tal fazer uma especialização, trabalhar a criatividade e preparar-se para os processos seletivos? Pois existem sim alguns segredos para ter sucesso com a recolocação profissional, viu? Descubra quais são eles agora mesmo!

1. Invista no autoconhecimento

Nesse contexto, o primeiro passo é sempre a busca pelo autoconhecimento. Assim, antes de distribuir dúzias de currículos, analise uma série de questões: preferências, vocações, talentos, ambições, prioridades e perspectivas de futuro. É importante fazer uma autoavaliação sincera, observando a própria evolução profissional, os cursos realizados e os resultados conquistados, além do desenvolvimento de competências técnicas, gerenciais e comportamentais.

Só com todas essas respostas na ponta da língua é que torna-se possível estabelecer um planejamento mais realista. Aliás, podemos adiantar que o coaching é uma excelente alternativa para acelerar esse processo de análise. Que tal procurar saber mais sobre essa opção?

2. Defina objetivos

Pode acreditar: com base no autoconhecimento fica bem mais fácil definir objetivos. Nesse caso, é fundamental pesquisar sobre empresas que, de alguma forma, possam contribuir para seu crescimento pessoal e profissional. O ideal é que exista uma identificação com a cultura e com os valores corporativos. Paralelamente, considere outros aspectos que pesem para você. Quer trabalhar mais perto de casa? Valoriza o horário flexível e quer ter os finais de semana livres? Tudo isso interfere diretamente na rotina do profissional, consequentemente impactando nos seus níveis de satisfação.

Vale lembrar que um dos maiores erros de quem está buscando a recolocação profissional é a falta de foco. Pense bem: candidatando-se a vagas não alinhadas a seu perfil, o profissional se distancia das suas metas. E o pior é quando não há retorno, surgindo aí um sentimento de frustração que pode até paralisar. Por essas e outras razões, é importante manter uma linha de procura que não fuja aos parâmetros previamente estabelecidos.

3. Ative o networking

O networking é uma parte importante do processo de recolocação profissional, período mais que propício para ativar as conexões e mostrar-se disponível. De fato, uma rede influente faz com que o indivíduo ganhe visibilidade, além de gerar indicações e ampliar a própria empregabilidade. Entretanto, para consolidar esses relacionamentos, é essencial contar com um plano de ação de médio e longo prazos, já que aproximações pontuais e imediatistas normalmente não são bem-vistas. Lembre-se: o networking é suportado pela troca de informações e conhecimento, pela colaboração contínua e ajuda mútua.

Estar presente em eventos, feiras e congressos é uma maneira de expandir o networking. Além de viabilizarem o encontro com pessoas diferentes, essas ocasiões servem para manter o profissional atualizado sobre tendências e novidades do mercado. Mas atenção: as redes sociais também devem ser exploradas! No LinkedIn, é possível localizar outros profissionais, antigos colegas de trabalho e ex-alunos de diversas instituições de ensino. O usuário ainda pode participar de grupos específicos, postar artigos, além de acompanhar publicações de empresas, executivos consagrados e de influenciadores.

No entanto, a apresentação nas redes sociais exige cuidado, já que é preciso construir uma reputação positiva. Nesse ponto, os conceitos de marketing pessoal devem ser aplicados. Não dá para esquecer que o comportamento do candidato em outras redes também evidencia convicções, opiniões e crenças, com os perfis muitas vezes sendo avaliados pelos recrutadores. Sabendo disso, fique de olho para sua exposição no mundo digital manter-se em sintonia com a imagem que deseja transmitir!

4. Busque oportunidades

Em tempos de crise, é mais que natural que haja um número menor de vagas sendo divulgadas e uma quantidade maior de candidatos atrás de uma boa oportunidade. Apesar disso, não se deixe abater! Insista na busca diária por novas oportunidades.

Os sites de empregos e os grupos nas redes sociais são sempre boas fontes de informação. E ainda há as páginas das empresas, que, em geral, disponibilizam um formulário padrão para o cadastro de currículos com a intenção de formar um banco de dados para seus recrutadores. Com tantas opções, acaba sendo preciso estabelecer um cronograma de atividades a serem realizadas. Inclua aí pesquisas, contatos, networking e, claro, bastante estudo!

5. Prepare-se para a seleção

O processo seletivo profissional padrão é composto por algumas etapas isoladas, como a análise dos currículos, as entrevistas, os testes práticos e psicológicos, podendo existir também dinâmicas. É fundamental, portanto, que o profissional esteja pronto para todas essas avaliações.

O currículo deve estar atualizado, organizado e bem formatado para facilitar a leitura do recrutador. Hoje em dia, agências e especialistas em RH oferecem serviços de preparação e revisão desse documento, além de aplicarem simulados e darem feedbacks voltados à preparação do indivíduo para esses momentos. Assim, o profissional ganha a confiança e a tranquilidade necessárias para se destacar durante a seleção!

6. Aposte na capacitação

A capacitação é absolutamente indispensável para quem busca a recolocação profissional. Para não tropeçar nesse ponto, aposte em cursos de atualização e pós-graduação. Aproveite que atualmente existem diversas opções capazes não só de atender, mas de superar as expectativas e as demandas dos candidatos!

Para alguns setores, o domínio de outros idiomas é pré-requisito. Nesse contexto, não podemos deixar de ressaltar que o inglês deve ter certa preferência, uma vez que é a língua mais usada no universo corporativo. De toda forma, cada caso é um caso. Afinal, a fluência em alemão, italiano, francês ou espanhol pode ser considerada uma imensa vantagem competitiva para muitas multinacionais.

7. Encare uma vaga temporária

Várias empresas têm oferecido vagas temporárias para especialistas e gestores experientes, geralmente para a condução de projetos específicos. Ao mesmo tempo em que esse formato garante mais flexibilidade e menos riscos para quem contrata, a proposta também é interessante para o profissional, que tem acesso a novos conhecimentos, tecnologias e metodologias, enriquecendo seu currículo. Isso sem falar, claro, na expansão da sua rede de contatos!

Além do mais, esse tipo de oportunidade pode abrir as portas para uma efetivação. Para tanto, é importante demonstrar dedicação, proatividade e engajamento. E ainda há outro ponto que merece ser mencionado: os processos seletivos para vagas temporárias são, em linhas gerais, mais enxutos e otimizados, garantindo uma recolocação profissional mais rápida. O que acha da ideia?

Com essas dicas, é possível estabelecer um plano de carreira mais eficiente, para que o candidato supere todos os obstáculos impostos pelo mercado de trabalho. Pronto para o desafio?

Por fim, se gostou deste post, não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais!

 

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"