Saiba como escolher a melhor pós-graduação para sua carreira

Você se formou, conseguiu um bom emprego, conquistou o respeito de colegas e superiores e agora é responsável por supervisionar ou gerenciar uma equipe. Parece que seus passos profissionais finalmente estão dando frutos e você vem alcançando os objetivos traçados, certo?

Para se manter em ascensão, você decide continuar seus estudos, mas na hora de escolher um curso surge aquela dúvida: “qual seria a melhor pós-graduação?”. Seu pensamento está correto: você não deve ficar estagnado no que já conquistou, pois há sempre algo a aprender ou a melhorar.

No cenário competitivo de hoje, investir em qualificação é um requisito básico para alçar grandes voos, independentemente da profissão. Cursar uma pós-graduação de qualidade e alinhada a objetivos claros é o caminho natural para quem deseja aperfeiçoar seus recursos técnicos, gerenciais e ampliar o networking.

Se você chegou até aqui, é porque provavelmente está prestes a tomar essa decisão e quer saber como escolher o curso ideal, para impulsionar sua carreira. Foi justamente com o intuito de dar uma mãozinha nesse processo que resolvemos criar este guia.

Pronto para escolher uma pós-graduação condizente com seus interesse e aspirações? Basta continuar lendo!

1. Entenda seu perfil profissional

Vamos começar com um dos pontos mais influentes na hora da escolha: seu perfil profissional. Se você pretende seguir uma carreira de pesquisador, ser professor e atuar na área acadêmica, o ideal é uma pós-graduação na modalidade stricto sensu — ou seja, um curso de mestrado ou doutorado acadêmico.

Contudo, por mais que essa modalidade encontre reconhecimento no mercado, ela não tem um perfil 100% prático. Isso quer dizer que ela não é voltada para capacitar profissionais para o mercado, mas para fomentar a construção e a produção de um conhecimento bastante especializado.

Assim, se seu desejo é adquirir competências e saberes mais direcionados às atividades do mercado, recebendo uma formação calcada na prática, talvez seja uma boa ideia escolher um curso lato sensu. Nessa modalidade estão os cursos de especialização, MBA executivo e mestrado profissional, voltados para a melhoria da carreira dos participantes.

Vale dizer, no entanto, que há demanda no mercado de trabalho por experts — especialmente em áreas que estão em franco crescimento, como os setores de energia renovável, sustentabilidade e informação.

Muitas empresas valorizam a formação mais longa e aprofundada proporcionada por cursos como o doutorado, pressupondo que a expertise adquirida neles representa uma vantagem, um diferencial. Portanto, tenha foco em seu perfil profissional e também na área em que você atua!

2. Defina aonde você quer chegar

Esta etapa é tão fundamental quanto a anterior e a ordem das suas poderia estar invertida. Tenha em mente que não existe “a melhor pós-graduação”, existe aquela que é ideal para você, por ser mais alinhada aos seus objetivos. Sim, objetivo é a palavra-chave que vai embasar sua decisão.

“Qual é meu objetivo?” ou “o que espero alcançar cursando X ao invés de Y?”. São as perguntas que você deve responder antes de selecionar um curso, pois se o objetivo e a pós-graduação estiverem em dissonância, é provável que haja desperdício de tempo e recursos.

Talvez você esteja considerando uma pós-graduação para adquirir ou aperfeiçoar uma competência técnica e, assim, pleitear um cargo diferente do atual. Talvez você pretenda mudar de área inteiramente e queira entender o novo terreno antes de aterrissar.

Independentemente do que for, esse é seu motivo. É ele que está impulsionando você a buscar algo, então nada mais lógico do que tomá-lo como base na hora de avaliar suas opções.

Seu objetivo é seu motivador, e, como tal, deve pautar toda a sua busca por cursos, instituições e modalidades de ensino. Quando não há um objetivo definido, é impossível mensurar se suas necessidades foram atendidas e se a iniciativa foi bem-sucedida.

3. Identifique suas possibilidades e restrições  

Também é preciso saber se os cursos pretendidos cabem na sua agenda e nas suas finanças. Você conseguirá fazer um curso com aulas todos os dias ou precisará de uma grade flexível, com aulas nos finais de semana, por exemplo?

Se for conciliar aulas com trabalho, será preciso elaborar um bom planejamento para viabilizar os estudos. Além do tempo, você deve se programar também em relação aos recursos que serão investidos.

Você tem como arcar com as mensalidades? Que ajuda sua empresa pode oferecer nesse sentido? Quais modalidades e instituições apresentam uma relação melhor de custo-benefício? Faça um levantamento de suas possibilidades para conseguir contornar as restrições que forem surgindo.

4. Conheça o mercado de sua área

Muitos estudantes recém-formados na graduação se comprometem com uma pós-graduação antes mesmo de conhecer a prática diária da profissão. Essa dinâmica até pode funcionar em alguns campos, mas, na maior parte dos casos, não é efetiva.

Caso seu perfil profissional seja corporativo e não acadêmico, é recomendável estar inserido no mercado de trabalho antes de escolher uma pós-graduação. Somente por meio da atuação é que você perceberá quais competências precisam ser melhoradas, quais especialidades são mais valorizadas e qual direcionamento sua carreira pode tomar.

A experiência de atuar em um ambiente de trabalho faz com que você amadureça suas ideias e sua visão de mundo. Consequentemente, você estará mais bem preparado para escolher o curso ideal.

5. Fique de olho no reconhecimento do curso

Depois de elaborar uma lista de opções a partir de seus objetivos, disponibilidade e perfil profissional, é chegada a hora de verificar se a instituição e o curso pretendidos têm a devida certificação do Ministério da Educação. Afinal, o MEC é o órgão responsável por credenciar e fiscalizar as Instituições de Ensino Superior (IES) em todo o território nacional.

Além de consultar o MEC, fique atento ao histórico da IES. Pesquise sobre como ela surgiu e quais são as suas conquistas até o momento presente. Verifique se ela possui  alianças com instituições de ensino e organizações de outros países. Se sim, de que forma isso influencia o curso escolhido por você? 

O fato de a IES ter uma fundação sólida e laços de parceria com outras organizações e centros de ensino é um bom indicador! 

6. Procure se informar sobre a relevância da IES

Saber que a instituição é reconhecida pelo MEC é um importante passo. No entanto, sua pesquisa deve ir além. Atualmente, existem vários rankings e avaliações externas comparando instituições de ensino de todo o mundo que podem embasar sua escolha.

Por meio desses rankings você consegue descobrir se determinada IES é a mais prestigiada na sua área de atuação — em sua cidade, estado e até internacionalmente. O jornal britânico Financial Times, por exemplo, disponibiliza algumas listas que podem ser consultadas. 

Além disso, vale fazer uma pesquisa de reputação por meio de fontes não oficiais (mas nem por isso menos eficientes). Pergunte a colegas de trabalho, amigos e familiares que já participaram desse tipo de programa sobre suas impressões, bem como a respeito da qualidade do curso — ou mesmo sobre a infraestrutura física e tecnológica da instituição. 

Busque feedback de pessoas que já estiveram em seu lugar, especialmente de quem trabalha na mesma área que você e já fez uma pós-graduação. Quais resultados concretos essas pessoas obtiveram? Quais ferramentas o curso lhes deu para que pudessem avançar em suas carreiras?  

Por fim, lembre-se de também fazer uma consulta aos órgãos de proteção ao consumidor, como o PROCON, para detectar qualquer tipo de problema em relação ao atendimento e aos serviços oferecidos.

7. Informe-se sobre a infraestrutura da instituição

A infraestrutura de mestrados em áreas como saúde, química, física ou ciências biológicas, por exemplo, costuma receber mais atenção dos possíveis participantes. Afinal, esse tipo de atividade exige, no mínimo, laboratórios de excelência, completos e seguros.

No entanto, muito se engana quem acredita que as instituições com foco na formação corporativa não precisam ter uma estrutura consolidada.

Nesses casos, é essencial que a instituição ofereça salas de aulas confortáveis e amplas, com bons recursos tecnológicos, além de bibliotecas ricas em materiais de pesquisa — que vão desde livros até os periódicos internacionais voltados para sua área de atuação.

Além da infraestrutura física e tecnológica, também vale pesquisar sobre a estrutura administrativa da própria pós, identificando se o atendimento aos alunos em questões administrativas e financeiras é organizado, transparente e eficiente.

8. Perceba como a IES emprega a tecnologia

Como você já deve ter percebido, a evolução da tecnologia mudou a dinâmica de muitas profissões, criando novas demandas e trazendo novos conceitos para o nosso dia a dia. Então, é necessário verificar como a instituição aborda e utiliza a tecnologia no curso pretendido.

A IES tem biblioteca virtual, ambientes de aprendizagem e fórum on-line? Os alunos têm acesso a um portal, no qual podem manter controle sobre seu rendimento, notas, ausências e pendências?

No que diz respeito ao ensino, a tecnologia é vista como um fim em si mesma ou uma facilitadora da aprendizagem? A grade curricular do curso aborda a questão da evolução tecnológica aplicada à sua área de interesse?

Se a questão tecnológica é relevante para nosso cotidiano e para o mercado de trabalho, ela não pode ser ignorada por quem se propõe a treinar e qualificar profissionais. De certa forma, essa relação já mostra o quão alinhada aos desafios e às oportunidades contemporâneas a IES realmente está.

9. Pesquise sobre a qualificação dos docentes

Um ponto que você não pode negligenciar é a qualificação do corpo docente. Afinal, os professores serão os profissionais com quem você terá mais contato no decorrer do programa. Eles são responsáveis por transmitir conhecimento e experiência de maneira direta — ditando, assim, o nível de excelência de sua pós.

Por isso, é importante consultar o histórico de cada um na Plataforma Lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), bem como conferir sua reputação no mercado por meio de revistas especializadas — ou mesmo de uma boa pesquisa no Google. Também vale estar atento ao perfil desse corpo docente.

Os professores são, em sua maioria, pesquisadores ou executivos de renome? O ideal é que essas duas grandes vertentes estejam equilibradas. Por isso, cursos de pós-graduação podem contar com um corpo docente fixo, além professores associados ou convidados, que trarão a experiência adquirida no mercado diretamente para a sala de aula.

10. Verifique a grade curricular

Tão fundamental quanto verificar a qualificação do corpo docente é conhecer a grade curricular do curso. Os nomes das disciplinas e dos professores que as ministram costumam estar disponíveis na página do departamento em questão. Caso não esteja, você pode solicitar a grade impressa na própria instituição.

Por meio da ementa da disciplina você verá se os conhecimentos e competências desejados são, de fato, abordados. Tenha em mente que as ementas, as referências bibliográficas, os professores e a proposta pedagógica são o termômetro de uma disciplina, assim como a grade curricular (a junção de todas as disciplinas e sua ordenação no tempo) é o termômetro do curso.

Esteja atento a esse indicador de qualidade!

Para relembrar

Se você passou por todas essas etapas antes de selecionar uma pós-graduação, parabéns! Suas chances de sucesso aumentaram consideravelmente.

Como você pôde constatar ao longo deste guia, seu objetivo e perfil profissional servirão como uma bússola que apontará para um norte — ou seja, para o destino que você pretende alcançar. Tanto o curso quanto a instituição deverão abrir os caminhos para que você faça essa jornada.  

A partir dessas definições de ordem interna, falamos dos requisitos gerais para a escolha da instituição: credenciamento do MEC, alianças com centros de ensino internacionais e posição em rankings. Depois, partimos para os indicadores de qualidade do próprio curso: grade curricular e corpo docente.

Buscamos conscientizá-lo, também, sobre uma questão essencial: o momento certo de investir em uma pós-graduação. Você viu que é muito importante ter um conhecimento empírico do dia a dia da profissão antes de definir em qual campo se especializar, certo?

Por fim, vale ressaltar que a melhor pós-graduação é aquela alinhada a seus objetivos!

Você ainda ficou com alguma dúvida em relação à escolha da pós-graduação? Entre em contato conosco e compartilhe seus questionamentos e suas impressões. Participe desse diálogo!

1 Comentários

  1. Thais Lopessays:

    Ótimas dicas para quem estáe busca de uma pós mas ainda tem dúvidas. Me ajudou bastante.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"