Saiba como usar a análise SWOT na gestão do seu negócio

Se sua pretensão é, um dia, conseguir ocupar um cargo de gestão, precisa, desde já, começar a estudar algumas ferramentas. Para ajudá-lo, vamos apresentar uma delas: a análise SWOT. Usada para avaliar os cenários interno e externo de um negócio, essa análise possibilita tomar decisões estratégicas, o que, por sua vez, aumenta o potencial de sucesso de qualquer que seja a iniciativa.

Acompanhando este post, você verá em mais detalhes como essa análise é feita e como ela pode ser aplicada à gestão do seu negócio. Confira!

Em que se baseia a análise SWOT?

Sigla para Strenghts, Weaknesses, Opportunities e Threats, a análise SWOT foi criada entre as décadas de 1960 e 1970 por Albert Humphrey, que liderou um grupo de pesquisa na Universidade de Stanford, nos EUA, estudando as empresas listadas na Fortune 500. Em linhas gerais, a ferramenta funciona tendo como base uma representação dos cenários externo e interno da empresa, usando para isso quadrantes determinados.

Forças

Esse quadrante representa os aspectos positivos internos, aquilo que sua organização faz bem, que pode ser considerado um diferencial competitivo. Como exemplos gerais podemos citar a boa retenção de talentos ou a expertise técnica.

Fraquezas

Temos representados aqui os aspectos negativos internos, aqueles pontos em que sua organização ainda precisa melhorar. Alguns exemplos são falta de alinhamento estratégico, clima organizacional ruim e falhas na logística de entrega.

Oportunidades

As oportunidades representam os aspectos positivos externos, elementos do cenário político, econômico ou social que abrem as portas para o negócio crescer, vender mais e aumentar sua lucratividade. Alguns exemplos são receptividade dos consumidores ao produto, disponibilidade de mão de obra qualificada e políticas de incentivo fiscal.

Ameaças

Nesse último quadrante temos representados os aspectos negativos externos, elementos do cenário político, econômico ou social que podem funcionar como obstáculos para o desempenho do negócio. Alguns exemplos são concorrência, risco de greve e retração econômica.

Como aplicá-la na gestão do negócio?

Você já sabe, na teoria, como é feita a análise SWOT. Mas como exatamente aplicá-la na prática para a gestão do seu negócio? Pois é o que você vai descobrir agora!

Levantamento

Em primeiro lugar, é preciso levantar todas as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças que conseguir identificar. Quanto mais detalhista você for, melhores serão os resultados desse processo. Se não souber por onde começar, que tal fazer benchmarking? Para isso, compare o funcionamento e as práticas da sua empresa com os concorrentes. Aqueles elementos em que seus competidores estão na frente, por exemplo, podem ser considerados fraquezas, pontos que você deve tentar melhorar.

Aproveitamento

Em seguida, você precisará tomar decisões em relação a cada item distribuído pelos quadrantes. Assim, enquanto uma força ou oportunidade deve ser explorada ao máximo, uma fraqueza ou ameaça precisa ser eliminada ou, se não for possível, é necessário ao menos elaborar maneiras de contornar seus efeitos. Tudo isso, é claro, tendo em mente as metas da empresa.

Imagine que uma força do seu negócio é a retenção de talentos. Nesse caso, você pode expor esse elemento como um diferencial nos processos de recrutamento, para atrair profissionais de alto desempenho. Já se uma oportunidade é a política de incentivo fiscal, você deve fazer uso dela. Sabia que muitos empreendedores não chegam a aproveitar todos os benefícios que leis e projetos oferecem? Não conhecer ou não explorar essas chances é como jogar dinheiro fora.

Por outro lado, se uma fraqueza é a falta de alinhamento estratégico, uma boa alternativa para começar a resolver esse problema é investir em melhorias na comunicação interna. Tenha em mente que, se os colaboradores não trabalham todos a favor das mesmas metas, isso prejudica os resultados do negócio, transformando-o em um barco que os tripulantes remam em direções e velocidades diferentes.

Para finalizar esses exemplos, pense bem: se uma ameaça é a concorrência, o primeiro passo deve ser fazer pesquisas de mercado. Tente descobrir como seu negócio pode neutralizar as diferenças, oferecendo mais valor aos consumidores e garantindo, assim, sua parcela de mercado.

Cruzamento

Outro ponto importante consiste em cruzar os quadrantes. Talvez uma força possa ser crucial para que seu negócio consiga aproveitar uma oportunidade ou, quem sabe, uma fraqueza seja obstáculo para aproveitar essa oportunidade. Observe quais fatores internos e externos não são isolados. Na verdade, eles se influenciam mutuamente. Portanto, não esqueça de considerar como um quadrante pode ajudar ou prejudicar o outro.

E aqui vai mais uma dica: avalie cada força, fraqueza, oportunidade e ameaça em uma escala de 1 a 5 — como normalmente é feito na gestão de riscos. Assim, será possível priorizar ações envolvendo os elementos mais relevantes.

Imagine que a ameaça de greve existe, mas é muito baixa, avaliada como nível 1. Nesse caso, você provavelmente não deve desperdiçar tempo pensando em soluções para ela! Faz mais sentido trabalhar em soluções para, por exemplo, uma ameaça de novos concorrentes avaliada como 4, cuja probabilidade de efetivamente acontecer é muito mais alta.

Vale a pena reforçar que a análise SWOT pode ser usada tanto de maneira contínua quanto para um mapeamento inicial de projetos — como o lançamento de um novo produto ou a abertura de uma nova unidade da organização. Essa análise também pode ser usada tanto por grandes empresas como por PMEs, sendo possível, por meio dela, encontrar maneiras de elevar a marca a uma posição de vantagem no mercado.

E não é só nessas situações que a análise SWOT se apresenta como uma ferramenta importante, viu? Ela pode até mesmo ser usada como um meio diagnóstico para seu desenvolvimento pessoal e profissional! Nesse caso, as forças e fraquezas são os pontos fortes e fracos do seu perfil, enquanto as oportunidades e ameaças dizem respeito ao mercado de trabalho. Assim, você terá um panorama mais claro das ações e decisões necessárias para avançar na carreira!

Pronto para, como já dizia Sun Tzu, concentrar-se nos pontos fortes, reconhecer as fraquezas, agarrar as oportunidades e proteger-se contra as ameaças? Você já usa a análise SWOT no seu negócio? Compartilhe suas experiências e impressões conosco!

 

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"