T-shaped professional: conheça tudo sobre o perfil desse profissional

O mundo dos negócios e da gestão é altamente dinâmico. Novos conceitos formam-se quase todos os dias. Caso você queira ser um profissional de sucesso, precisa conhecê-los, entender suas implicações e saber como colocá-los em prática.

Um bom exemplo é o conceito de “T-shaped professional”; ele designa um certo perfil que está sendo muito procurado pelas empresas na hora de contratar novos colaboradores.

Quer saber o que é um T-shaped professional e como você pode desenvolver esse perfil? Confira as dicas do nosso post!

O que significa T-shaped professional?

O termo surgiu na década de 1990. Ele vem do inglês, e pode ser traduzido como “profissional em formato de T”. Por mais estranho que pareça, existe um bom motivo para o nome; ele faz uma referência a um modelo que tem, literalmente, o formato da letra T.

O traço horizontal representa a dimensão do conhecimento geral, aquele referente à toda a organização, ao mercado, à economia e à política e outras questões relevantes, mas que não estão estritamente relacionadas à sua atividade. Enquanto isso, o traço vertical representa a dimensão do conhecimento específico e prático, voltado para a área em que o indivíduo trabalha.

Assim, o T-shaped professional é aquele profissional que é capaz de expandir seus conhecimentos para diversas direções que são relevantes e, ao mesmo tempo, aprofundá-los para a execução imediata de sua atividade. Em outras palavras, um profissional multidisciplinar e multifacetado.

Por que as empresas buscam esse profissional?

Muitas organizações dão preferência ao funcionário que apresenta um perfil T-shaped, e há uma boa razão para isso.

O profissional que somente desenvolve seus conhecimentos técnicos específicos pode desenvolver muito bem seu trabalho, mas não tem senso crítico. Dessa maneira, quando deparado com uma situação de dúvida, ele é incapaz de tomar decisões fundamentadas. Ele é, por assim dizer, apenas um executor.

Por outro lado, aquele que tem vasto conhecimento geral sem a excelência técnica pode ser um pensador crítico, mas, na hora de “colocar a mão na massa”, ele pode deixar a desejar. Para uma empresa — que não vive apenas de ideias e debates, mas precisa de resultados — ele acaba sendo um peso.

O T-shaped professional é uma combinação dos melhores aspectos desses dois tipos de profissional. Para a empresa, ele representa um colaborador que será capaz de executar a sua atividade e, também, de analisar, criticar e tomar decisões levando em consideração questões mais amplas. Portanto, ele exerce um trabalho de qualidade superior, isto é, apresenta alta performance.

Como desenvolver um perfil de T-shaped professional?

Se as empresas preferem o T-shaped professional, desenvolver esse perfil é uma vantagem para você. É uma oportunidade de aumentar sua competitividade no mercado de trabalho. A questão, portanto, é como fazer isso. Aqui vão algumas dicas.

Para fortalecer o “traço horizontal”

1. Conversar com os colegas

O primeiro passo para expandir seus horizontes, desenvolvendo a dimensão do conhecimento geral, é conversar com seus colegas — especialmente aqueles que trabalham em outros setores. Eles poderão oferecer informações e pontos de vista sobre a organização diferentes do seu, e essa é uma experiência de enriquecimento muito válida.

E não se limite a conversar apenas com colegas do mesmo nível hierárquico. Em vez disso, dialogue também com quem está abaixo e, claro, quem está acima. Aliás, conversar com os gestores da empresa vai trazer à tona uma versão da organização que você provavelmente nem imagina — já que eles, pela natureza de sua função, precisam desenvolver uma perspectiva macro do negócio.

2. Ler muito

A leitura ainda é uma das melhores formas de aprender sobre temas relevantes, mesmo aqueles com os quais você não lida no dia a dia. Quem desenvolve esse hábito consegue traçar relações entre eventos e fenômenos. Além disso, produzir suas próprias conclusões após a leitura é um ótimo exercício para o senso crítico.

É claro que você também pode obter esses resultados acompanhando notícias pela televisão ou pelo rádio, por exemplo. No entanto, a leitura exige um esforço maior de concentração, que também é indispensável para quem deseja apurar o raciocínio.

3. Fazer uma pós-graduação

Na graduação, você precisa adquirir uma imensa quantidade de conhecimento que vai permitir chegar ao mercado de trabalho e exercer uma profissão. Por esse motivo, ela é geralmente mais concentrada em conhecimento específico, prático. Você aprende a fazer, mas não a pensar.

Já na pós-graduação, essa urgência não existe; portanto, você tem a oportunidade de estudar outros assuntos, também importantes, embora mais gerais. A pós-graduação oferece, então, um espaço para expandir seus horizontes junto a outras pessoas que também estão em busca de alcançar o sucesso na carreira.

Para fortalecer o “traço vertical”

1. Fazer cursos livres

Cursos de idiomas, de informática e livres são excelentes maneiras de aprofundar seus conhecimentos específicos.

Esse tipo de curso tem baixa carga horária semanal e, em muitos casos, curta duração; isso permite que você constantemente invista em sua capacitação e aprimoramento. Por exemplo, quem termina um curso de inglês, pode buscar outro idioma, para valorizar ainda mais o currículo.

2. Fazer uma especialização

Talvez você ache contraditório, mas não é. Enquanto a pós-graduação lato sensu é, sim, um lugar para falar de assuntos que não cabem na graduação, ela também é um lugar para aprofundar seu conhecimento dentro de um tópico relativo à sua atividade profissional (o que explica o nome “especialização”).

A questão, portanto, é escolher a especialização mais alinhada ao rumo que você deseja dar à sua carreira. Se você quer ser um CFO, um diretor financeiro, investir em uma especialização em gestão de marketing não vai ajudá-lo a fortalecer os conhecimentos específicos necessários para ocupar esse cargo. Pode ser uma empreitada interessante em nível pessoal, mas é uma escolha inadequada do ponto de vista profissional.

Agora que você já sabe o que é o T-shaped professional e como se tornar um, o próximo passo é identificar qual das duas dimensões — conhecimentos gerais ou conhecimentos específicos — precisa da sua atenção imediata.

Quer divulgar o conceito que você acabou de aprender para outros profissionais? Compartilhe esse post nas redes sociais!

 

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"